Bem-Vindos! Welcome!

Este é um espaço com impressões sobre montanhismo, escalada, performance esportiva, qualidade de vida, educação, viagens e outras paixões que, desde muito cedo, alimentam minha alma.

Aqui, apresento de forma descontraída, vivências e conquistas, curiosidades e bobagens.

Obrigada pela visita e fique à vontade.

Contato: janinefmcardoso@gmail.com

"Diga-me e eu esquecerei. Mostre-me e me lembrarei. Envolva-me e eu compreenderei." (Confúcio)

quinta-feira, 27 de março de 2014

Botando pra quebrar na Escalada Esportiva...

+ DESCANSO FÍSICO Forçado  - Fratura de Escafóide
+ ENDORFINA:  corrida, trabalho e rockvibe
+ PROGRAMA VITA CARE: apoio  a atletas
+ NOVAS PARCEIRAS:  Deuter / Camelbak / Sea to Summit
+ 13º  ENEE: palestrando em  Igatu, Chapada - abril/14
+ DESTAQUE NACIONAL: Beto Ferragut em NAVIO FANTASMA
+ FUNDAÇÃO da ABEE- Associação Brasileira de Escalada Esportiva: março/14
+ FESTIVAL ESCOLAR DE BOULDER:  na Casa de Pedra, SP - em abril
+ CALENDÁRIO INTERNACIONAL: mundias de 2014, 2016 e 2018
---------------------------------------------------------------------------------
Salve, Salve!!

Não resisti ao humor negro como título dessa postagem, pois o que seria de nós se não fosse o riso e a aceitação diante das adversidades da vida, não é mesmo?

O título se deve a uma pequena, porém chata fratura que sofri no mês de fevereiro após um quedão, tentando alcançar a última agarra de um dos meus projetos de escalada em rocha - a via Fullon, 10a relativamente curto  localizado na Falésia dos Olhos - região de Paraisópolis.

Após 40 dias, ainda lembro do impulso cheio de vontade rumo à agarra final da via, após isolar toda sequência de crux.

Tal impulso (obviamente sem segurar na agarra, hehe) me projetou com muita velocidade para baixo, resultando numa queda com pêndulo desajeitado. Acredito que a segurança poderia ter sido um pouco mais dinâmica para tentar minimizar o impacto, mas ainda assim não sei se teria evitado a 'porrada' na parede.

 Apesar desse "voo" já ser meu conhecido em tentativas anteriores, na maioria das vezes eu realizava o último lance isoladamente, o que me permitia tentar o movimento 'dinâmico' com o corpo mais alto, oferecendo, assim, mais precisão (já que não havia qualquer afobamento de 'cadena')...
Tudo isso sempre me permitiu uma queda mais 'limpa' e calculada.

Desta vez, ao ver que atingiria a parede após  a queda, tentei proteger o corpo como de costume (principalmente cabeça, tronco, quadril),-  tentando ajeitar meu corpo para empurrar a rocha  com os pés e com as mãos.

Na queda, a mão direita foi o primeiro membro a absorver o impacto, o que me rendeu uma fratura de escafóide -osso localizado próximo ao punho, abaixo do dedão.

Na hora,  a descida foi bem tranquila até o chão, vi que nada mais grave havia acontecido e fiquei de olho na mão, pois até então, a dor parecia ser consequência de apenas um trauma, sem fratura visível ao exame 'clínico'.

Após cerca de 3 horas, a dor aumentou bem e achei melhor checar se havia estrago maior através de um raio x...

Em 20 anos 'botando pra quebrar ' na escalada esportiva, nunca havia fraturado qualquer osso escalando  (somente  torcido cotovelo, estirado ligamentos do tornozelo e joelho, distendido costas, bíceps e ombro, entre outras coisitas mais...rs) então não tinha muito parâmetro sobre uma dor de fratura desse tipo.

Alguns raio-x´s depois, lá estava minha primeira fratura óssea oriunda da escalada (já havia quebrado o dedão do pé após um carro frear em cima dele)...

Sem cerimônias (após consultar alguns ortopedistas) meu médico especialista indicou cirurgia para colocação de um parafuso a base de titânio - super interessante e bem vindo no meu caso.

ESCAFÓIDE: CURIOSIDADE SOBRE ESSE OSSINHO HUMANO
O escafóide é um osso que, quado fraturado do meio até a porção mais proximal -como foi meu caso (mais perto do corpo e do pulso), é pouco vascularizado,  o que pode comprometer sua consolidação.

Já quando é  fraturado na porção mais distal, próximo ao polegar, a vascularização é boa e pode-se indicar um tempo de imobilização sem cirurgia para consolidação eficaz - que pode durar de 8 a 12 semanas.

Tive um problema surreal  com convênio para liberação da cirurgia devido à cotação de material - um caso à parte nessa experiência de vida, resolvido com uma liminar judicial.

Neste caso, o aprendizado que fica é: corram atrás dos seus direitos, nem que isso possa parecer complicado à primeira vista.
Sempre existe um caminho de chegar à justiça.

Vencido mais esse desafio, voilá!: realizei minha cirurgia com sucesso no dia 1º de março, ganhando um novo bone-friend (na foto abaixo):


O suporte de amigos e família foi significativo nessa fase chata, que, em compensação, me apresentou vivências de vida únicas e agregadoras.

Assim como 'previam' algumas mensagens  com votos de boa recuperação, já estou sentindo grandes mudanças internas nessa fase off climbing, aproveitando também para ampliar a visão para tantas pessoas especiais à minha volta com diferentes realidades de vida.

Valeuzão por cada mensagem, cada telefonema, cada encontro e palavra...

Mesmo sendo um osso tão pequeno perto de tanto sofrimento que vemos por aí nessa vida, a expressão de carinho, sem dúvida alguma, me ajudou muito a encarar essa fase de recuperação de uma maneira mais leve.

+ ENDORFINA, POR FAVOR! 
Mesmo assim, confesso que neste 1 mês sem escalar e praticamente sem fazer atividade física, o humor sofreu mais altos e baixos do que de costume, não só pela falta de endorfina, como pela dificuldade em realizar atividades do dia a dia como por exemplo cortar frutas, entre outras ações do cotidiano.
Affff....

Nesse 'cai, levanta', se tudo der certo no processo de consolidação desse meu ossinho, devo retornar à escalada em mais ou menos 30 dias, em meados de maio, retomando a força e movimentação aos poucos.

De qualquer forma, o que são 30, 60, 90 dias, ou mesmo 1 ano para quem escala  há 20 anos?

Enquanto isso, vou  aproveitando para zerar tendões, ligamentos e tensões musculares que a escalada de performance gera.




PROGRAMA VITACARE - apoio a Atletas
Agradeço ainda ao Programa VITA CARE do INSTITUTO VITA por todo tratamento que venho recebendo nessa fase de recuperação.

Obrigada especial ao escalador e ortopedista amigo Malcon pela indicação que me levou ao atendimento e trabalho top  do meu ortopedista -  Dr. Mateus Saito.
http://www.institutovita.com.br/?Pagina=VitaCare

NOVAS PARCERIAS
Treinando ou mesmo no trânsito da babilônia, não desligo da hidratação em  alta, principalmente nesse pós cirurgico!



Já estou de volta à corrida e  á algumas vivências acompanhando amigos na rocha e em trilhas pela montanha..

Para as caminhadas, sigo  equipada com a parceria DEUTER, curtindo muito a mochila Air contact 55 + 15:  estilo super feminino, com toque especial das florzinhas amarelas que dão uma graça extra!


O conforto e acesso fácil ao conteúdo interno graças às opções de abertura é perfeito,  principalmente nessa fase em que minha mão segue em recuperação e consigo achar tudo que preciso rapidinho!

ENCONTRO DOS ESCALADORES DO NORDESTE - 13º ENEE
Já em abril, sigo rumo à Chapada Diamatina para palestrar no 13º ENEE  - Encontro dos Escaladores do Nordeste que, esse ano, acontece dos dias 18 a 21 de abril na cidade de Igatu.
Link:www.eene.com.br/noticias.php?Cod_Noticia=64

Será uma pena não poder escalar nas rochas por lá, mas aproveitarei cada minuto para compartilhar experiências, conhecer esse paraíso e agitar uma volta para escalar efetivamente!

Enquanto isso, sigo apreciando de perto e de longe os trabalhos e realizações dos amigos na rocha e curtindo a vibe mór da escalada esportiva no Brasil e no mundo...

Entre as realizações, destaco abaixo um cara para lá de pilhado na rocha - Massa em high-ball no ARanha:
Três Oitão e Meio - Boulders do Aranha from Flavio Castagnari on Vimeo

E pra motivar meeeeesmo, segue o vídeo do escalador Beto Ferragut na cadena do boulder que deve ser um dos mais hard do Brazill, cotado em V 14:  NAVIO FANTASMA - também no setor Aranha - São Bento do Sapucaí.



Esse boulder é muito CORE!!!

Após 8 anos de tentativas de escaladores como Felipe Camargo e Pardal, eis que neste mês de março abriu-se a porteira com o FA do Beto,  seguido do Felipe Camargo que também realizou a cadena alguns dias depois.

Antes dessa realização, 'Felipinho' havia realizado em 2013 grandes cadenas internacionais que fazem dele, mais uma vez, um dos grandes Outsiders do ano da escalada nacional.
Confira em abril na edição da GO OUTSIDE!

E dá-lhe pressão e alta performance brazuca...

FUNDAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESCALADA ESPORTIVA 
Outra movimentação que está acontecendo em prol da organização da escalada esportiva nacional  de alta performance é a fundação da ABEE, que nasceu, finalmente no mês de março, para ajudar a  promover a escalada esportiva nacional - no âmbito competitivo máster principalmente.

A ideia é ajudar na realização de dois campeonatos brasileiros estruturados em 2014, com calendário divulgado com antecedência para que mais escaladores possam treinar e participar, visando não só fomentar o esporte no Brasil de forma mais profissional, como, quiçá, formar um time nacional que nos represente internacionalmente ano a ano.

Paralelamente a isso, manteremos com força o link com a Federação Internacional - IFSC: www.ifsc-climbing.org

Aos poucos, conforme adesão e força nacional, aumentaremos mais o envolvimento para projetos de escalada esportiva regionais.

Para isso, eu, Raphael Nishimura, Bianca Castro, Thais Makino, Neudson Aquino, Cesar Grosso, Tatiana Caloi, Alexandre Cardoso, Alexandre Silva, Pedro Medeiros, Caio Gomes, entre outros escaladores, demos início neste mês de março aos trabalhos da Associação Brasileira de Escalada Esportiva - a ABEE,  um trabalho que, dê certa forma, já vem pegando forma há anos, com forças e interesses voltados para o mesmo foco.

A Associação está se reestruturando e está aberta a todos que queiram ajudar de alguma forma também! Em breve, divulgaremos todo conselho envolvido, calendário, propostas mais detalhadas e formas de participar como associado e parceiro nesta batalha!


FESTIVAL ESCOLAR DE BOULDER
Fomentando a escalada de base em São Paulo, o trabalho está acontecendo este ano em parceria com apaixonados pela escalada esportiva como Dênis Prado, Thais Makino, Mieko Makino, Francisco Loria, GINÁSIOS CASA DE PEDRA, 90 GRAUS, 4CLIMB, DEUTER, todos em prol da realização de mais um FESTIVAL ESCOLAR DE BOULDER:

1ª etapa no Ginásio Casa de Pedra dia 13 de abril-das 9h as 12h
2º etapa no Ginásio 90 Graus dia 14 de setembro - das 9h às 12 h



Todos os colégios podem participar, é só chegar!
Inscrição: enviar email com nome da criança para janinefmcardoso@gmail.com
valor: R$ 20,00 (dinheiro ou cheque) com pagamento a ser efetuado no dia.

Bora lá, criançada!!
Toda ajuda de voluntários é bem vinda!

CAMPEONATOS MUNDIAIS DE ESCALADA - 2014, 2016 e 2018
No âmbito das competições internacionais, a Federação Internacional  anunciou este mês mais duas sedes confirmadas para receber os Campeonatos mundiais:
- em 2016, em Paris, França;
- em 2018 - em Innsbruck, Áustria.
Confira mais acessando a Página da Federação Internacional de Escalada Esportiva.

Este ano, a cidade de Munich (Alemanha) sediará o  Mundial de Boulder em agosto, e a cidade de Gijon, Espanha receberá o Mundial de Dificuldade e Paraclimbing em setembro, campeonatos que devem contar com a participação de atletas brasileiros.

Confira mais informações,  acessando calendário internacional completo e acompanhe resultados do circuito da copa de mundo realizados durante todo o ano.

E a evolução não pode parar!!
Que sigamos motivados não só para escalar, como para enfrentar os desafios que surgirem com autenticidade, humildade, paz e, ainda assim, muita gana...

Sempre em frente e até a próxima!

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

'Humildade no Ar' e 'Influenza' - 10a´s na Semana da Virada, Corupá, SC, Brasil


Passagem de ano, para muitos, serve como momento de maior reflexão, de balanço, de renovações,  e também como oportunidade para viajar e ampliar horizontes...

Nesse processo, o desejo de conhecer lugares diferentes e enfrentar novos desafios nos move de lá para cá, buscando viver de forma 'autêntica' e desfrutar intensamente de oportunidades, como viagens que possibilitem pelo menos 1 semana 'off-labuta' ... E um VIVA às férias coletivas, não é mesmo!? rs...

A autenticidade está, com toda certeza, em seguir a trilha que o próprio coração indica, seja repetindo um caminho, seja buscando o desconhecido...
Vale tudo se for verdadeiro!

No meu caso,  a passagem para 2014 tinha dois destinos possíveis, que me deixaram um pouco dividida até a última hora:
1º:  rumar para um destino de escalada que ainda não conheço na Chapada Diamantina ... (Oxi!, por pouco não fui escalar em Igatu, finalmente, o lado das escaladoras Camila Caggiano e Nereida Rezende.. :-))  
OU
2º: voltar para o incrível conglomerado de Corupá/ São Bento do Sul (SC),  para enfrentar mais alguns desafios esportivos no paredão principal do Parque Natural do Braço Esquerdo, e estar  ao lado de amigos que também estariam por lá. 

Em meio a reflexões,   lembrei de uma frase que certa vez folheei em um livro do Schopenhauer em uma livraria: "No fundo, apenas os pensamentos próprios são verdadeiros e têm vida, pois somente eles são entendidos de modo autêntico e completo."


Livre de qualquer 'interferência externa' ou pressa para viver o desconhecido, o tum tum tum no peito bateu forte por Corupá novamente...

Para lá voei então, vivendo 9 dias de imersão na pureza da escalada esportiva, ao lado de máster brothers como:
Gabriel Jansen, Massa, o irmanito Ale Cardoso, Felipinho 'Regletinho',  Lucas 'Garrinha',  Thiago 'Rasta', Francine Gomes, Sueli Machado, Wagner Borges, Sandra Nakamatsu, Michel Ferreira, Vinicius 'Cotô,  e muitos outros fanáticos que fizeram parte da beleza desses dias por lá. 

Já o bonde para a Chapada, oxalá deva acontecer logo!
Coincidência ou não, conheci em Corupá a escaladora baiana moradora de Lençóis - Luan Krug - altíssima vibe, pegando novos betas para programarmos uma trip rumo às escaladas da região.

By the way,  nesse próximo final de semana de janeiro acontece o Festival de Escalada em Igatu .
Mais infos em: http://4climb.com.br/blog/2014/01/08/iio-festival-de-escalada-igatuboulder-acontece-neste-fim-de-semana-ba/.

Aproveitem e  confiram também a postagem sobre Escaladas em Igatu  no blog do Eliseu Frechou, que passou esse reveillon 2014 por lá: http://www.espn.com.br/post/380404_escalando-em-igatu-chapada-diamantina-i.

Enquanto isso, lááá no sul, o  setor de escalada 'Braço Esquerdo' nos abraçava com tudo que tinha direito.. calor, mosquitos, cachouxs, amigos, encontros, desafios e realizações :-)
De fato, foi palco de muitas emoções na busca por suadas cadenas!

E bota suada nisso...
O clima por lá estava ainda mais quente do que na minha primeira visita a Corupá em fevereiro de 2013 - chegando a 40º em alguns dias, com bastante umidade no ar.

Entre 'calorosas' escaladas  no paredão principal e muitos banhos de cachoeira nessa semana de férias,  consegui realizar meu projeto de trip já no dia 31 de dezembro - a cadena da via INFLUENZA, 10a (FFA). 

Após 2 dias, a paranaense Janaína Xavier também realizou a via e, por muito pouco, a também paranaense Francine Gomes  não mandou a cadena nessa trip, caindo nos últimos lances molhados.  Certeza que vai rolar!
A mulherada no Brasil está fazendo bonito, realmente, e o setor do Parque Braço Esquerdo ainda promete muitas emoções...

Hoje soube, inclusive,  que a escaladora carioca Lu Di Franco, que está morando em Rodellar nos últimos anos, realizou essa semana a via Vaca Loca na Barrinha, graduada em 10b. 
Taí mais uma via que quero conhecer, assim como tantas outras vias nesse setor no Rio de Janeiro. 
A evolução não pára!

Sobre a Influenza, refleti sobre sua graduação, após realizar a via na 3ª entrada da trip. Comparei com outras linhas de 9c e 10a desse estilo no Brasil e achei que  o grau está ok.

Se comparada, por exemplo,  à Seixo-no-ia e à Heróis da Resistência - graduadas em 9c,  a Influenza é mais difícil. É uma via acessível para pessoas experientes que malham 10a e conseguem administrar bem lances de continuidade com alguns descansos. 

                                         (Foto por Simony Blanco)

De qualquer forma, ainda lembro bem de seus lances espetaculares, de toda sua complexidade, de cada descanso conquistado e a conclusão é de que esta é mais uma via soberba  no Brasil que merece muito ser escalada...

De cabeça feita com essa cadena no último dia de 2013, confesso que  no 1º dia de 2014 já estava com meus pensamentos buscando um novo desafio naquele paredão, para aproveitar os dias restantes de escalada da trip...
Afinal, a escalada não pode parar!

Pensei em começar a malhar um dos 10b´s - ou a Skawurska ou a Perdeu Playboy. 
Porém, com pouco tempo de viagem, decidi focar em algo mais viável para tentar realizar em 2 dias de trabalho: a via 'HUMILDADE NO AR' -  outro 10a.

Aliás, antes de falar sobre minha experiência nessa via, deixo registrado o PARABÉNS ao seu conquistador - José Luiz KAVAMURA: Que  linha espetacular, man!!!

Esse nome é fantástico, pois envolve a poesia inerente à palavra 'humildade' e, ao mesmo tempo,  nos remete à realidade do clima local em muitos dias - com muita umidade no ar!  rs

A primeira parte da 'Humildade' é  um 7b lindo até a base do boulderzão - crux que já eleva a dificuldade da via para  9c, sem contar o final que firma o 10a. 

Na 1ª entrada na via, senti que podia rolar a cadena rapidamente, mas precisaria de pelo menos um dia de descanso para tentar no último dia de trip. 

Felizmente, na 2ª entrada,  não havia muita umidade no ar e o clima estava mais fresco ... 
Pude então focar bem  no trabalho da sequência do boulder sem suar tanto,  perceber melhor o tipo de continuidade que ela requer na cadena e afinar  melhor os detalhes dos movimentos finais da via. 

No 2º dia de trabalho da 'Humildade' e último dia desta trip, entrei para a cadena totalmente entregue a cada lance e a conexão aconteceu perfeitamente até o fim. 
'Mágico'!

Para mim, realizar dois 10a´s em 5 dias nessa passagem para 2014 foi motivante, já que penso em participar mais uma vez do Campeonato Mundial de dificuldade, que este ano acontecerá na Espanha  (com vias eliminatórias que devem ficar entre 9c/10a em flash).

Considerando que este ano completo meus 40tinha, se der para participar (o Brasil está desfiliado do IFSC e talvez não possa competir nos mundiais este ano) e  ficar entre as 40 primeiras colocadas, já está ótimo...  rs...
(Os Campeonatos Mundiais de Escalada costumam contar com cerca de 80 atletas em cada categoria). 

Se não formos liberados para participar, o foco vai pra rocha e vamo q vamo!

De qualquer forma, até o 2º semestre, terei  tempo de tentar aprimorar minha força-resistência para escalar duro em flash,  paralelamente  aos trabalhos em Sampa e aos cuidados com minha filhota , e aproveitar a escalada rocha em alguns finais de semana.

Nesse campo profissional, produzi dois textos para as últimas edições da revista Go Outside:
-  a matéria 'Amor acima de tudo' na edição de novembro - sobre um casal americano que está tentando escalar as 50 mais clássicas linhas da América do Norte;
- e a entrevista para a edição de dezembro/janeiro com a escaladora eslovena 'Mina Markovic', que, em 2013,  consagrou-se tri-campeã mundial no overall de escalada esportiva. 


O contato com essa atleta foi especial, não só pelo resultado da entrevista, como pela oportunidade de perceber melhor o calor e a sensibilidade de uma campeã com tantas conquistas, oriunda de um país do leste europeu. 

Para finalizar, mando um obrigadão ao escalador Gabriel Jansen pela receptividade e vibe em su casa em Corupá, e à toda galera presente no Braço Esquerdo pela positividade nesse início de ano...
 Foi INCRÍVEL!!!

Confira postagem completa do escalador Daniel Casas sobre esta virada em Corupax no blog: http://ecosdamontanha.blogspot.com.br/2014/01/virada-corupax.html
Valeu a vibe, mais uma vez, man!

Lembrando ainda que,em abril, acontece também em Corupá a comemoração anual da 4climb, dos dias 18 a 21 de abril...
Taí mais uma oportunidade de apertar esse conglomerado, na mais alta vibração positiva!


Obrigada à La SPORTIVA Brasil pela parceria também em 2014, após  20 anos de climbing non-stop, me ajudando a manter a paixão cada vez mais em alta.

Aproveito para destacar  alguns produtos TOP La Sportiva que têm me acompanhado na montanha e na rocha,  como a confortabilíssima bota de Gore-tex-  modelo BOULDER X MID GTX,  hiper aderente!,  e a sapatilha SOLUTION, que dispensa muitos comentários...

 Abaixo, usando o calcanhar perfeito da Solution - La Sportiva, no boulder "Tempo de Violência" (sugestão V9), no bloco da Ana Chata/Baú  -
Foto por Alexandre Cardoso




(Acima, bota de Gore-tex La Sportiva - aderência sensacional)

Parabéns especial a alguns guerreiros que pude acompanhar de perto nesta semana no setor de escalada Braço Esquerdo:

Massa pela cadena da via Seixo-no-ia;  Garrinha pela Skawurska; Felipinho Ho pela Pedra Lascada e evolução na Super Paust; Ale irmanito pela gana na Humildade;  Gabz pela Perdeu Playboy; Andre Maeoka pela cadena de 2ª entrada na Seixo-no-ia;Thiago Rasta pela cadena na Pedra Lascada; Fran pela Boca Mordendo; Jana pela Influenza; , Lola pela Legumes Flutuantes; e tantos outras cadenas e labutas emocionantes na rocha por lá nessa passagem de ano!


Abaixo, Garrinha malhando a  via 'Menino Bang Bang' - 10 c 
            (Foto por Vinicius Attuy)
  

















  Abaixo, Massa na cadena da  maravilhosa via Seixo-no-ia, 9c
               (Foto por Lucas Trotta `Garrinha')
             
  
   
Acima, Fran Gomes na Pedra Lascada-9a  (Foto: Vinicius Attuy)

 
   Acima, Felipe 'Regletinho' Ho na via
  Super Paust - 10a / Foto por Vinicius Attuy         
                  
Para sonorizar esse início de 2014, escolhi uma música que, acima de tudo, me remete ao que tenho vivido e sentido em minhas vivências na rocha, e ao mesmo tempo embala um sentimento de igualdade...


 Seja qual for o lance a ser superado, que seja enfrentado com gana e humildade... Isso sim é ser Top Rankin!

Feliz 2014 a todos e até a próxima!


terça-feira, 19 de novembro de 2013

Copa do Mundo de Escalada 2013 - Eslovênia

+ Campeões do ano no Overall: Mina Markovic e Jakob Schubert
+ Rokaz Bloc - Festival de Boulder - 30 de novembro - BH
+ Reunião sobre futuro da Escalada Esportiva Nacional - dia 7 de dezembro - às 19 hs - no Espaço BBloc, São Bento do Sapucaí

----------------------------------------------------------------------------------
Oi Pessoal!

É hora de dar um saudoso tchau à Eslovênia, após uma semana para lá de intensa para mim no que se refere ao universo de escalada esportiva de competição.

Primeiramente, vou contar um pouco sobre minha participação nessa etapa derradeira do circuito da Copa do Mundo, nessa rápida trip...


Na sexta-feira, dia 15 de novembro,  fiz meu check-in como atleta - como de costume nas vésperas de mundiais, peguei minhas credenciais e mais uma vez participei como team manager brazuca no briefing sobre a etapa.

Aliás, tudo ocorreu na mais santa paz nessa trip!
Os briefings de campeonatos são sempre ótimos momentos para encontrar amigos de outros países,  dar uma olhadela na estrutura do muro - que eu já conheci em 2008 (mas não lembrava muito bem),  de reconhecer a área, confirmar o caminho que vai do hotel até o local da competição para não errar no dia seguinte, etc...  Nessa hora também, os oficiais de cada equipe recebem as start lists - com ordem de escalada e a confirmação de horários do cronograma todo da competição.

Só para lembrar, nas etapas da Copa do Mundo e no Campeonato Mundial os escaladores escalam duas vias  eliminatórias, ambas em flash (assistindo a escalada dos outros competidores).

Na primeira via eliminatória,  fui a 3ª atleta a escalar, o que por um lado é bom escalar logo no início de uma das listas, pois não rola tanta espera, mas por outro não permite que o atleta assista muito aos atletas anteriores na via.

Realmente, enquanto as 2 primeiras competidoras escalavam, era hora de preparar detalhes como:  concentração, xixi de última hora, ajustes finais  de cadeirinha, sapatilha e magnésio,  etc, para estar pronta na hora exata que a competidora anterior caísse. Se o atleta não estiver atento e pronto ao seu momento de escalada (atrasando o cronograma), ele corre o risco de ser penalizado perdendo pontos.

O aquecimento para essa primeira via foi bom, mas achei que entrei um pouco afobada para escalar, (apesar de que, quando assisti ao vídeo, não parecia que eu estava tão nervosa como de fato me sentia!).

Aos poucos, fui relaxando na via, colocando pressão - às vezes, mais do que o necessário para não cair de jeito nenhum no começo.. rs... Até acho que, se não fosse esse gasto de energia, poderia ter ido umas agarrinhas acima...
Divagações como essa parecem inúteis, mas servem como reflexão para olhar para a próxima via e tentar fazer diferente ou melhor.

De qualquer forma, o fato é que caí tijolada, em um movimento onde peguei na agarra, mas não a ponto de chegar com a energia e tensão corporal necessária para segurá-la.

A ordem de entrada na 2ª via eliminatória acontece segundo uma 2ª lista, que é composta pegando a  primeira metade de escaladores da 1ª lista e posicionando-os  após os nomes que estavam listados na 2ª metade dessa 1ª lista.

rs... Parece confuso, mas enfim: a ordem de escalada da via 2 possui uma lógica para ser calculada e tende a oferecer um descanso semelhante para todos os competidores entre as 2 vias.

Tive cerca de 1hora e 40 minutos de descanso entre as 2 vias - tempo bem suficiente para 'desbombar' e assistir melhor as outras competidoras no próximo desafio.

Entrei me sentindo com muita gana e mais tranquilidade nessa 2ª via, super motivada, talvez por ter assistido mais tempo a mulherada escalando-a.

Contudo, sem dúvida, achei a segunda via mais difícil, pelo menos até onde tive condições de escalar. Os últimos movimentos que fiz foram meio que 'no escuro', achando que não fosse chegar na agarra, muito menos ficar, mas fui tocando do jeito que dava...

Conversando com a escaladora eslovena Mina Markovic, soube que as eliminatórias estavam em torno de 8a, 8a+ francês, com cerca de 35 movimentos, sem contar as costuras.
Os movimentos eram bem boulderísticos, como de costume, obviamente sem possibilidade de descanso.

Após essa 2ª via, desci de cabeça feita e satisfeita,  esperando ficar em último lugar na etapa.
Não é exagero afirmar que, nesta etapa, estava o 'creme de la creme' do cenário de escalada esportiva de competição de 2013... rs

Qual foi minha surpresa, quando conferi  que, entre 41 competidoras,  eu havia ficado em 40ª!

Enfim, nessa ocasião, tanto fazia para mim a colocação, contanto que eu tivesse feito realmente meu melhor conforme minha realidade no momento... Saí realmente feliz, como sempre empolgada em assistir de perto às próximas fases.

SEMI-FINAIS
Ainda no sábado, dia 16, mais à noite,  ocorreram as semi-finais.
 Entre uma fase e outra, aproveitei para conversar com alguns dirigentes do IFSC para expor o cenário competitivo no Brasil e vislumbrar de que forma podemos continuar competindo em etapas mundiais em 2014, uma vez que a CBME optou em ser desfiliar temporariamente da Federação Internacional para 'organizar a casa'.

ORGANIZAÇÃO - ESCALADA ESPORTIVA DE COMPETIÇÃO NO BRASIL
Sobre esse assunto, há muito o que ser debatido ainda no Brasil, mas sem dúvida, é preciso uma boa reforma na casa, com mais pessoas engajadas em focar no desenvolvimento da escalada esportiva de competição.
Para tanto, será realizada uma conversa aberta no dia 7 de dezembro, às 19 hs,  em São Bento do Sapucaí, no Espaço BBloc - https://www.facebook.com/EspacoBBloc .
Quantos mais escaladores esportivos presentes nessa reunião/ debate, melhor para nosso esporte...
Bora lá!

FINAIS E VENCEDORES DE 2013 -Circuito Mundial
As vias finais estavam duríssimas, como sempre.
Mais uma vez, o tcheco Adam Ondra esteve presente no cenário competitivo e deu seu show à parte, escalando a via final com rapidez e eficiência!


 Por pouco, Ondra não repetiu em Kranj o 1º lugar que conquistou na etapa anterior em Valence, França - (únicas duas etapas que competiu em 2013),   mas o austríaco Jakob Schubert deu a gana e mostrou que, de fato, está mais preparado este ano para competições, levando essa etapa eslovena.

De qualquer forma, no ranking geral de dificuldade de 2013, Jakob ainda ficou em 2º lugar, atrás do campeão da modalidade este ano, o japonês Sachi Amma - outra pluma escalando!

Já no OVERALL masculino de 2013 - modalidade que combina 2 modalidades (somando a pontuação do ano, em todas as etapas participadas, podendo escolher 2 entre boulder, dificuldade ou velocidade), o grande campeão foi realmente o austríaco Jakob Schubert, seguido do canadense Sean McColl.
RankNAMENationPoints
1SCHUBERTJakobAUT755.00
2MCCOLLSeanCAN651.00
3AMMASachiJPN507.00
Sem dúvida, cada vez mais considero os resultados do Overall Mundial os mais importantes para mensurar o nome do ano que merece mais destaque no universo de escalada de competição.


No OVERALL feminino, a eslovena Mina Markovic repetiu o feito dos 2 anos anteriores - 1º lugar, competindo tanto em boulder como em dificuldade desde 2011.
Tri-campeã no Overall, por 3 anos consecutivos.
Haja foco!
RankNAMENationPoints
1MARKOVICMinaSLO648.00
2NOGUCHIAkiyoJPN634.00
3ODAMomokaJPN628.00

Outra inspiração incrível nos últimos anos é a koreana Jain Kim que levou mais uma vez o ranking de dificuldade de 2013, seguida de Mina.
Que classe! Que tranquilidade! Que sutileza!

Nesta etapa eslovena, contudo, Jain e Mina não se deram muito bem - ficando em 4º e 3º lugar respectivamente, por causa de um lance mais explosivo - eu diria extremamente desapegado!!

Como se não tivessem muito a perder, as japonesas Momoka Oda e Akiyo Nogushi se lançaram com tudo no tal lance, deram um show à parte e ficaram  em 1º e 2º lugar respectivamente em Kranj.
Espetáculo de final feminina!

Todas as imagens de cada lance e cada escalada podem ser conferidas no site do IFSC ou  atráves dos registros do IFSC.TV no Youtube.
Confira em: http://www.ifsc-climbing.org/

E para quem quiser conferir eu vestindo as cores do Brasil, carregando o número 8 - de fato,   buscando "meu infinito" em cada escalada, segue abaixo o vídeo e o 'timing' em cada via:

Escalando na via 1: dos 9min25s aos 12min33s
Escalando na via 2: de 1h48min24s a 1h51min36s
http://www.youtube.com/watch?v=KGw8zMcO60M





Essa foi mais uma vivência emocionante, extremamente intensa e rápida, mas muito gratificante!

Além do campeonato, desta vez aproveitei a visita a Kranj para interagir melhor com peculiaridades de uma cidade do leste europeu nessa época do ano, dar  boas corridinhas em meio a esse cenário e fotografar..

Agradeço muito à Revista GoOutside pela parceria de trabalho e a toda equipe da Editora Rocky Mountain pela vibração positiva.

Obrigada também aos meus apoios: La Sportiva, 4Climb, Ginásio 90 Graus e Loja e Ginásio Casa de Pedra.

E claro, um obrigado enorme à minha família e amigos sempre presentes na minha vida de alguma forma!


FESTIVAL DE BOULDER ROKAZ BLOC
Aproveito ainda  para divulgar um evento brazuca de boulder super tradicional que, este ano,  acontecerá no dia 30 de novembro em Belo Horizonte - o Rokaz Bloc.
Boulders de V0 a V... , para todos os gostos...
Inscrições até o dia 29 de novembro!
Mais informações pelo telefone: - 31 - 2535-9800.



Kmon e até a próxima!!!

... "Superfície azul do céu, asas em curva de dores, Fernão Capelo levanta e voa, porque voar é importante, mais que comer e viver.

Caro é pensar diferente, viver em infinitos, voar dias inteiros só aprendendo a voar. Gaivota que se preza tem de sentir as estrelas, analisar paraísos, conquistar múltiplos espaços.

Gaivota que se preza precisa buscar perfeição. Importante é olhar de frente, em uma, em dez, cem mil vidas.

... nada é limite: voa, treina, aprende, paira sobre o comum do viver.

Se o destino é o infinito, o caminho é nas alturas!"

(Fernão Capelo Gaivota)

------------------------------------------------------

"Time stand still... I'm not looking back, but I want to look around me now, see more of the people and the places that surround me now...Time stand still...Freeze this moment a little bit longer, Make each sensation a little bit stronger, Experience slips away...The innocence slips away..."

(Rush and Climbing - since 1993)

National Geographic POD