Bem-Vindos! Welcome!

Este é um espaço com impressões sobre montanhismo, escalada, performance esportiva, qualidade de vida, educação, viagens e outras paixões que, desde muito cedo, alimentam minha alma.

Aqui, apresento de forma descontraída, vivências e conquistas, curiosidades e bobagens. Obrigada pela visita!

Contato profissional para:
- Consultoria e Treinamento para Escalada Esportiva
- Modelo / Dublê de Escalada
- Jornalista Esportiva
email: janinefmcardoso@gmail.com


"Diga-me e eu esquecerei. Mostre-me e me lembrarei. Envolva-me e eu compreenderei." (Confúcio)

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Morte no Aconcágua e VIDA na escalada!

Caras!

Normalmente não me manifesto verbalmente sobre feitos que não me dizem respeito e apenas apresento os fatos... Porém, neste caso da morte recente no Aconcágua, o mínimo é lamentar e questionar a decisão de exoneração do chefe do grupo de resgates do Aconcágua há 35 anos no cargo, Armando Párraga.

Armando guiava o resgate que abandounou o montanhista argentino Federico Campanini, morto na montanha em janeiro deste ano.

TEnho acompanhado o caso que repercutiu através do vídeo que mostra a tentativa de resgate do montanhista, que, segundo as imagens, ainda apresentava sinais de vida quando foi deixado para trás. Certo ou errado?
Confiram detalhes e análises sobre o caso e o vídeo em questão, acessando o link: http://altamontanha.com/colunas.asp?NewsID=1043

Falando em morte, aproveito para comentar o texto de meu companheiro Luciano Fernandes, também colunista do site Alta Montanha - www.altamontanha.com, intitulado 'A morte de um esporte'.

Neste caso, como escaladora esportiva apaixonada pela prática indoor desde antes do surgimento da Casa de Pedra e, ainda, como atleta apoiada por ela, aí vão algumas análises do caso e breves considerações:

Quando a Casa de Pedra correu o risco de fechar, muitos que reclamam hoje de seus preços altos e 'elitizados', simplesmente disseram com aparente apatia: "Ahhh, se fechar, fazer o que né??, vamos para 90 graus!"

Pois é amigo PG...Sobrou! Essa coisa de falar 'outra academia' me parece um tanto quanto hipocrisia... Convenhamos né pessoal!?
Eu comecei a escalar na 90 e também a vislumbro como uma opção bacana para continuar escalando e mantendo os amigos da escalada.

Porém, valorizo paca´s a CP, suas vias, o espaço para guiar, as áreas de boulder, agarras importadas, toda a estrutura e ambiente.
E mais uma vez digo. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.
A Casa de Pedra possui área de musculação, mais área para top-rope e para guiar, espaço para biomecânica, esteiras... Quem quer só escalar, pode optar pelas rochas também! Olha só que solução baratinha!

Logo, eis uma prova de que, mesmo com os preços mais elevados, o esporte não morre.
Morre a CAsa de Pedra para quem não quer pagar o que custa um ginásio que DECLARA absolutamente TODOS os impostos ao governo e que agregou por anos diversos instrutores de final de semana em troca da escalada.

Não entro profundamente aqui na questão de valores, e no fato de que poderia ficar um pouco mais acessível futuramente, caso a situação for estabilizada e o ginásio continuar a ser administrado adequadamente.

Porém, os alunos que permaneceram unidos para lutar pela continuação da unidade Morumbi deram-se ao trabalho de fazer a conta matemática por cima (ao contrário de alguns que moveram-se apenas para criticar) e puderam perceber que somando os alunos ativos (e pagantes) e os custos de manutenção, realmente não havia condições de continuar, analisando do aspecto mercadológico ( e de forma simplificada).

Houve uma reformulação à qual muitos não puderam se adequar. As reformulações podem continuar acontecendo através de negociações coerentes, só que na hora certa.

Todos passamos por privações, mesmo que em escalas e parâmetros diferentes. Cada um possui uma visão particular dos fatos, conforme realidades distintas.

O 'coitado' que deixou o montanhista no Aconcágua por exemplo, talvez achasse que Frederico fosse apenas mais um escalador morto congelado na montanha; JULGOU e CONDENOU premeditadamente. Todos corremos riscos em determinadas decisões da vida.

Pessoas que no momento de dissabor cospem no prato que comem, nos integrantes do menu e nos chef's da casa, devem realmente mudar de cardápio... ou melhor, de restaurante.

Isso não quer dizer que com um pouco de esforço, não seja viável um bem bolado de tutu de feijão com caviar (affff,será??), se todos abrirem a cabeça e perceberem que ninguém (ou quase ninguém) está desejando a indigestão alheia.

Porém, uma coisa é certa. Ninguém nunca morrerá de 'fome' de escalada no Brasil.

De qualquer forma, lamento por muitos indivíduos que gostariam de frequentar um ginásio de escalada e que, momentâneamente ou nunca poderão usufruir de tal prazer. Porém, lamento muito mais por aqueles que realmente não têm o que comer.

Mas o ciclo continua. Felizmente, sempre em mutação para todos nós...

Por isso, mais uma vez, Viva la Vida! ...
Desta vez, 'LIVE' in Amsterdã, com Chris Martin e seu charmoso sotaque inglês abrindo com humor a maravilhosa canção.
Força nos tambores e apeerta galera! Seja onde for!

Paz, união e amor a todos!

2 comentários:

Junior disse...

Você poderia pelo menos ter justificado o seu apoio à exoneração do chefe do grupo de resgates.
Parece mais um comentário leigo, como um dos centenas que eu vi a respeito do vídeo.
Você que é conhecida no esporte deveria tomar cuidado ao expressar sua opinião e influenciar outras pesoas que não são do meio.
Isso chama-se "caça às bruxas"...
Prática comum na Idade Média, mas estamos no século XXI!

JANINE CARDOSO disse...

Oi Junior, aceitei seu comentário elucidativo! Primeiramente, obrigada pela visita no meu site. Se sua intenção era explicar que julguei premeditadamente a ação do grupo de resgate, agradeço a intenção de fazer justiça e esclarecer os fatos para a leiga aqui. Questionar é uma palavra menos caçadora? Assim seja.
O fato é: Não existe ao menos uma maca para socorrer? Isso parece certo? Existe uma maca hoje no Baú, na escalada em rocha, mas não havia uma lá??? Logo, algo está errado. Nem uma maca dobrável?
Apoiar, questionar... O fato é que o homem estava vivo e chorei como se fosse meu filho vendo-o 'resgatado' daquela forma, mesmo q por voluntários.... Realmente, resumir a angústia dos socorristas em 3 minutos é cruel, mas algo tem que ser feito para melhorar esse tipo de resgate.. e, neste caso, o bode expiatório rumo à evolução do resgate em alta montanha parece ser o próprio chefe...
Espero uma elucidação mais didática da próxima vez para pessoas leigas como eu. Você possui meu e-mail: janinefmcardoso@gmail.com.

Não é atacando uns aos outros que chegaremos a melhores condições em qualquer patamar ou modalidade dessa p%$#7orra de esporte que amamos, que não possui apoio financeiro algum neste continente...
Acredito que é com questionamentos, esclarecimentos e união para que nossos filhos possam ter mais chances e oportunidades futuramente.
Bj,

... "Superfície azul do céu, asas em curva de dores, Fernão Capelo levanta e voa, porque voar é importante, mais que comer e viver.

Caro é pensar diferente, viver em infinitos, voar dias inteiros só aprendendo a voar. Gaivota que se preza tem de sentir as estrelas, analisar paraísos, conquistar múltiplos espaços.

Gaivota que se preza precisa buscar perfeição. Importante é olhar de frente, em uma, em dez, cem mil vidas.

... nada é limite: voa, treina, aprende, paira sobre o comum do viver.

Se o destino é o infinito, o caminho é nas alturas!"

(Fernão Capelo Gaivota)

------------------------------------------------------

"Time stand still... I'm not looking back, but I want to look around me now, see more of the people and the places that surround me now...Time stand still...Freeze this moment a little bit longer, Make each sensation a little bit stronger, Experience slips away...The innocence slips away..."

(Rush and Climbing - since 1993)

Ocorreu um erro neste gadget