Bem-Vindos! Welcome!

Este é um espaço com impressões sobre montanhismo, escalada, performance esportiva, qualidade de vida, educação, viagens e outras paixões que, desde muito cedo, alimentam minha alma.

Aqui, apresento de forma descontraída, vivências e conquistas, curiosidades e bobagens. Obrigada pela visita!

Contato profissional para:
- Consultoria e Treinamento para Escalada Esportiva
- Modelo / Dublê de Escalada
- Jornalista Esportiva
email: janinefmcardoso@gmail.com


"Diga-me e eu esquecerei. Mostre-me e me lembrarei. Envolva-me e eu compreenderei." (Confúcio)

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

HEPTA CAMPEÃ BRASILEIRA!

+ Revista Aventura & Ação edição 154 - Especial Serra da Canastra:
http://www.aventuraeacao.com.br/
-------------------------------------------------------------------------------

" A vontade de se preparar precisa ser maior que a vontade de vencer."

Inicio essa postagem comemorativa com a frase (acima) do treinador de basquetebol americano Bob Knight.

A citação faz parte de pensamentos de figuras do cenário esportivo que admiro como o treinador Nuno Cobra (Airton Senna), do atleta Dean Karnazes e de outros apaixonados por competições, performance e superação que não se cansam em dizer o quão importante é mantermos a motivação e o tesão por tudo que envolve um desafio.

Alimentada por esse espírito, conquistei esse final de semana o 7º campeonato brasileiro de escalada ...
Apesar de breve e com poucas etapas este ano, foi sem dúvida um campeonato desafiador e único para mim.

Além de um grande envolvimento de amizade e admiração por minhas concorrentes e organizadores desta etapa, manteve-se em mim a seriedade e comprometimento visando, é claro, mais essa conquista.

Este ano, o 'preparo' para este campeonato esteve longe de ser impecável, como vocês puderam acompanhar ao longo de minhas postagens.

Podendo viver novas aventuras, experimentar novos desafios profissionais e curtir minha família, mantive meus treinos de escalada de forma menos intensa que no ano anterior.

Porém, existiu um preparo físico, logísitico e principalmente emocional, sendo este último, como sempre, o mais importante de todos a meu ver.

Ao mesmo tempo, senti que eu estava pronta para vivenciar uma nova experiência que, talvez, me libertasse do meu vício de competir: Ser superada por outras guerreiras no cenário de competição brasileiro...

...Thais Makino e Anna Shaw são algumas delas.

Na primeira etapa em Curitiba, lá estávamos nós... Eu e Anna iluminando uma Super Final, após sermos subestimadas pelo route-setter!

Agora em Sampa, a cena se repetiu nas lindíssimas vias do Belê (route-setter), me proporcionando uma Superfinal com o furacãozinho dos boulders Thaisinha...

Após mandarmos a via semi-final (8a) e final(8b), fomos isoladas novamente para o desempate na via do máster masculino.

Nesta altura do campeonato, o título de 2009 já era meu, uma vez que a Thais não havia pontuado na primeira etapa.

Ao mesmo tempo, pensei: "Aff... Super final na via do máster masculino com uma monstrinha de boulders... Definitivamente, isso não vai ser fácil!"...

Mas a corda estava lá para me segurar nos lances de explosão... Então, bora apertar mais uma vez e vamu que vamu pro que der e vier!



E assim, lá fomos nós duas, cada uma com seu estilo até, enfim, cairmos na mesma agarra na Super Final, em um lance dinâmico um pouco antes do teto.

Com isso, empatamos nesta etapa, venci o circuito brasileiro 2009... e eu desci da via louquinha para entrar novamente e ir mais além!!! hehehe...
Ou seja, não basta vencer...
Ainda bem!!! :-))

Nesta mesma via masculina, Cesinha (César Grosso) conquistou o PENTA CAMPEONATO BRASILEIRO, e segue no próximo final de semana para representar o Brasil no Sulamericano de Boulder no Chile. Kamon!!!

Chegaram ao pódium brasileiro do ranking brasileiro 2009 também os atletas Alex Rajagopalan (2º) e Carlos Educardo Levy (3º), ambos de São Paulo! Parabéns!!!

Resultados e matéria completa em: http://www.altamontanha.com/colunas.asp?NewsID=1926
http://www.apee.com.br/

Após 'contatos especiais de altíssimo grau' esse ano, percebi que o potencial da mulherada brasileira é tremeeeeendo!

Cada uma de vocês, inclusive as escaladoras de rocha, fazem parte do meu processo de evolução, pois, com muita garra, diversidade e força, me motivam e desafiam!!!
Keep Going sisters!!!

Agora é nos prepararmos para as férias, cuidando de cada pedacinho do corpo, da mente, do espírito (e do bolso!) para aproveitarmos com saúde e paz belas escaladas, caminhadas, festas, amigos e família!

Agradecimentos especiais ao Filippo Croso, Belê, Neusa Vedovato, Jussara Nery, Silverio Nery, Marcelo, Goro e Mieko Shiraiwa, Gabriel, Adebas, Ginásio Casa de Pedra e a todos que colaboraram com a APEE e CBME para que compartilhássemos mais esse momento!

Obrigada ao Pedro Hauck, Patty Mattos e Nívea Berezoski pelas fotos!

E não deixem de conferir belíssimos roteiros para estas férias na última edição da revista Aventura & Ação...

Além de rolês incríveis pela Serra da Canastra, Deserto do Atacama, Machu Picchu (foto), Namíbia, Circuito Tucum-Ciririca, Bolívia, o caderno socio-ambiental traz matérias informativas que nos lembram que quem ama a natureza, cuida!
http://www.aventuraeacao.com.br/

Boa leitura e ótima viagem a todos,

beijo grande,
Janine

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Sombras e vagalumes no Cipozin...

+ CALENDÁRIO 2010 de ESCALADA
+ II Etapa do CAMPEONATO BRASILEIRO

________________________________________________________
Oi queridos!

Após alguns finais de semana longe de um contato mais intenso com paredes de pedra, me organizei esse feriadão para matar a saudade da Serra do Cipó!

Foram poucos dias, mas muito ricos em escalada, vibe positiva e união...


Além de me superar guiando a rampinha da via SOMBRAS FLUTUANTES, tentar flutuar através de seus lances de explosão, interagir pacificamente com alguns marimbondos que têm construído suas 'casitas' na linha e buscar uma força-resistência da alma para tentar o crux do final da via, fotografei para o CALENDÁRIO 2010 de escalada feminina, a convite da amiga e escaladora Fernanda Rocha, uma das idealizadoras do projeto.

Ao meu lado, mais 11 escaladoras também concedem paixão, força e graça às páginas do Calendário Garotas Dedos Fritos, que será lançado no dia 17 de dezembro em um festerê em Belo Horizonte, clicado pelos fotógrafos Baxter e André.
(Dei uma olhada nas fotos escolhidas da mulherada... Estão lindas!!!)

Conversando com a Fernanda e a Rafa, escaladoras assíduas do Cipó, senti um enorme carinho que me encheu de felicidade. A cada dia percebo que minha relação com a escalada vai infinitamente além da prática física.

De diferentes formas, amigos da escalada também 'abraçam' essa filosofia através de blogs e ações que movimentam nosso enorme 'mercado', como o hilário blog do Ubtboulder, onde Linha e Rodras se superam a cada postagem...
O texto "Mulheres, venham a nós" (23/11), por exemplo, deduz o market-share para boulder...
http://www.ubtboulder.com/
Sensacional!

Assim como a Yoga, a escalada é uma prática que proporciona uma relação infinita do ser humano com o universo.

Essa relação é plena quando há uma UNIÃO de todos os poderes existentes e atuantes em nós, entre eles, físicos, mentais, espirituais e sociais, envolvendo desde o equilíbrio de nosso micro-cosmo, de nosso sangue, plasma ('do sangue no zóio' na hora da cadena) até nossa relação com a sociedade.

Conectada a essa filosofia e guiada pelos betas positivos da Fernanda Rocha, tive a oportunidade de conhecer o ABRIGO CIPÓ, chalézinho construído com muito amor pelo casal Rafa e Barão para abrigar apaixonados pela escalada e natureza.

A construção preza a sustentabilidade, com janelas e portas de madeira de demolição restauradas e tijolos de adobe.
http://www.abrigocipo.com.br


Atento à qualidade de vida, o Abrigo oferece além de um ambiente delicioso, um café da manhã super completo e saudável, com delícias como yogurte e bolo caseiro, granola, mel, pão de queijo, tudo super fresquinho e preparado com muito carinho pelo casal.
http://www.abrigocipo.blogspot.com/

Além de me deparar com "Sombras Flutuantes" por dois dias de escalada no Grupo 3, marcou-me a visita de uma mamãe vagalume no final do último dia, antes de iniciar a trilha noturna de volta ao Abrigo.

Após um tempo de contemplação e contato com seu olhar iluminado, percebi que a vagalume carregava um outro brilho em baixo de seu corpo - seu filhote.

Pelo caminho, essa obra de arte da natureza mescla-se às árvores da Serra do Cipó nessa época do ano, transforma a floresta em uma árvore de Natal super brilhante, e dá boas vindas ao Natal 2009!

Como ceia pós climbing, uma ótima opção é a SANTA PIZZA, restaurante aconchegante localizado na estrada principal da Serra do Cipó antes da primeira rotatória!

Minha dica de pizza é a exótica que leva geléia de damasco, nozes, mussarela de búfala e presunto parma!
Opções com geléia de pimenta e as famosas pizzas doces também rolam por lá...
Deliciosas!
Vale a pena também pela decoração zen-criativa, na qual penduricalhos e quadros expostos estão à venda.

http://www.guiaserradocipo.com.br/santapizza/index.htm

Agradeço a todos pelos bons momentos, e espero em breve voltar à terras mineiras!

E no próximo final de semana (dia 28) rola a segunda etapa do Campeonato BRASILEIRO de escalada na CASA DE PEDRA, unidade Chácara Sto. Antônio!
Kamon...

Categorias: Amador e Master
Route Setter: Andre Berezoski (Belê)




Regulamento, horários e inscrição em: http://www.apee.com.br/

Beijos,

Janine

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

'Life Skills' : Saco do Mamanguá - Joatinga


Olá!

Há exatamente 22 anos atrás, estava eu em uma quadra de educação física realizando fotos para um trabalho escolar de educação artística.

O trabalho consistia em realizar alguns movimentos corporais e mantê-los estáticos para que o professor fotografasse.

Posteriormente, na sala de artes, cada aluno receberia essa foto de si mesmo, sem nenhum contexto exterior que interferisse.

Orientados a aplicar uma técnica de naquim pontilhado, criamos um cenário em harmonia com aquele movimento fotografado, concluindo o trabalho de educação artística do 1º ano do ensino médio.

FOTO:
Sem absolutamente nenhuma idéia prévia e sem saber para que serviria aquela foto, coloquei meu corpo em uma posição ereta, de pé, com uma das mãos no peito e uma das pernas levemente flexionada fora do chão.

Pelo que lembro, dei muita risada e senti muita vergonha em ter que me expressar daquela forma em frente aos colegas de classe, aparentemente, sem uma razão, sem direcionamento...
Mas, enfim, a foto saiu.

Com ela revelada e poucos segundos de reflexão sobre aquela imagem de minha MÁQUINA física, visualizei-me em um trilha de pedras, com uma montanha ao fundo e uma mochila nas costas.

E essa foi minha 'obra de arte' criada em nanquim com 13 anos de idade.

Lembro-me, inclusive, de um colega que projetou sua foto, criando um desenho dele sentado em uma privada... kkk...
Será que nesses anos todos ele fez muita 'cagada' na vida??? hehehe

Só sei que eu sempre me senti viva com uma mochila nas costas, podendo carregar meu mundo em contato com a natureza, explorando, dividindo e relembrando aventuras.

Esse meu prazer nunca foi em busca de performance ou de um corpo bonito, pois com 13 anos não estava preocupada com isso.
Tão pouco estava eu em busca de provar alguma coisa a alguém, a não ser, quem sabe, a mim mesma.

Através de aventura, sempre senti uma manifestação 'divina' pulsando da alma, enchendo-me de verdade e vida.

Essas memórias tem se manifestado cada vez mais intensamente em minha memória, principalmente pelo contato profissional que tenho tido com alunos do ensino médio em viagens para a natureza.

Unindo essa minha paixão a muito trabalho, auxiliei na última semana em mais uma viagem organizada pela TREEHOUSE, atuando também como guia de um grupo de alunos de 14 anos.
http://www.treehouse.com.br

O destino escolhido pela escola para colocar em prática mais um programa LIFE SKILLS foi o Saco do Mamanguá, paraíso escondidinho na região de Paraty, onde aspectos como cooperação, respeito, independência, comprometimento e prática da língua inglesa foram avaliados.


Lidar com crianças de qualquer idade é infinitamente fascinante pela diversidade de personalidades e posturas apresentadas.

Em meio a tudo isso, não vou muito fundo em psicologias da educação para escolher a que mais me identifico e acredito, psicologia baseada na motivação e no envolvimento do indivíduo.

Qualquer ser humano, principalmente crianças, encontram forças para seguir em frente quando sentem amparo, confiança, carinho, dedicação e firmeza de um semelhante mais experiente.

E tudo isso começa com o diálogo, doando sabedoria, e em caso mais extremos, rumamos para posturas mais rígidas que levam a 'punições' naturais, onde o indivíduo passa por perdas para compreender e valorizar os ensinamentos.

No final de tudo isso, mesmo com uma rotina pesada de acordar muito cedo, preparar café da manhã, montar mochila, caminhar por horas, montar acampamento, cozinhar com cansaço e fome, o jovem encontra virtude e paixão em cada ato, principalmente se ele tiver uma motivação e sentir carinho de quem o orienta....
E dá-lhe orientações!!!

Em tais viagens, acordamos ainda mais cedo que os alunos para deixar tudo no esquema para que eles coloquem a mão na massa...

Nosso sono dos deuses somente acontece quando todos estão quentinhos e calados em seus sleeping bags... Missão demorada ao lidarmos com um grupo de alunos que não desliga facilmente sofrendo com o desconhecido, em meio à sobrevivência em um mundo, para eles, 'selvagem'.

Divididos em times, além de prapararem o cardápio previamente produzido por nós, meninos e meninas lavam a louça e aprendem a valorizar cada trabalho.

Nessa trip, lembro-me de diversas situações orientando os alunos, com muitos detalhes que me enchem de satisfação.

Dentre elas, lembro-me de orientar uma estudante no 'simples' ato de cortar um mamão para o café da manhã:
"Nossa, eu nunca fiz isso Miss, não sei fazer.", disse uma das alunas que, dentre outras coisas supérfluas para um acampamento, levou uma PANTUFA na sua mala de rodinhas. kkk

Com carinho, demonstrei a ela o início da tarefa, entregando posteriormente a faca e a fruta na sua mão.
Em alguns segundos, a menina que esbravejava não saber fazer aquilo, focou-se na tarefa. Logo percebi nela uma enorme satisfação em realizar tal atividade que, sem dúvida alguma, alguém sempre fez para ela.

Nada como se sentir útil e vencedor colocando a mão na massa, seja cortando um mamão, seja alcançando um destino com as próprias pernas após muito suor...

Assim como essa jovem, alguns tiveram que aprender pela dor e pelo cansaço que, por exemplo, uma mala enorme e pesada de rodinhas não combina com uma viagem de trilhas e pela praia, onde cada um tem que carregar o que leva.

Neste caso, faço uso mais uma vez do perfeito provérbio que 'abraçamos' na TREEHOUSE:
"Diga-me e esquecerei, mostre-me e me lembrarei. Envolva-me e eu compreenderei"... uma vez que em uma palestra escolar para briefing dessa viagem, um de nossos guias DISSE, DEMONSTROU e enviou uma lista completa de tudo que levar e NÃO levar para esta trip...

Mas como "o ser humano aprende pelo amor ou pela dor", alguns tiveram que sofrer para aprender, carregando suas mochilas.

É claro que, dentro do nosso trabalho como guias e organizadores está prever tudo isso. E para não traumatizar a criançada, a TREEHOUSE contratou barcos para transportar o que, nestes casos, é impossível carregar pela trilha.

Mesmo assim, a retirada da bagagem dos barcos ficou por conta do 'passageiro' após a trilha, que sofreu multa por 'excesso' na avaliação final do programa escolar.

Entre perrengues e suor, os alunos descobriram muita vida através de belezas naturais desta reserva natural.

"Ai, 'tia', nem olha para mim... Estou horrível", disse uma das alunas no final da primeira trilha, sentindo o suor misturando-se ao seu cabelo despenteado.
"Você está linda suada", respondi a ela.

E como eu estava sendo sincera!!! Ela estava ainda mais bonita de quando havia começado a trilha. Porém, ela não tinha espelhos para enxergar sua beleza... Ainda estava presa a um padrão, a um tipo de beleza exterior que a limitava de viver aquele momento plenamente.

O primeiro dia de viagem sempre é marcante por gritinhos na trilha, por posturas mais inadequadas de um público que definitavemente não está acostumado ao montanhismo, e geram nos instrutores pequenos insights da vivência que acontecerá com cada aluno daquele grupo nos próximos dias.

Já o segundo dia é marcado por uma postura mais instrospectiva e muito mais foco dos alunos, direcionados pelo corpo de guias e professores.

TRIP
Nesta viagem, partimos em uma trilha que sai de uma das praias do SACO DO MAMANGUÁ (após uma caminhada até ele) em direção à praia da Joatinga, onde acampamos na 2ª noite.

Esta chegada foi o ponto alto da viagem para a maioria dos alunos que demonstraram muito mais comprometimento e seriedade no meio da mata atlântica.


Instalados, os alunos puderam desfrutar de um pouco de tempo livre para descansar, visitar a cachoeira e mergulhar no mar antes de prepararem o jantar.

À noite, a chuvinha deu um gosto maior de aventura, ensinando aos alunos o quão fundamental é a organização adequada de seus pertences para que eles não molhem.

Ao fim de mais essa vivência profissional, uma certeza:
Cada aventura como essa é inesquecível na vida dos jovens, pois é realizada em uma fase na qual influências externas podem ser mais facilmente eliminadas, permitindo reflexões e descobertas mais puras.

E através de um canal aberto de comunicação, cada insight de descobertas, cada vida, soma-se à minha, à sua, à nossa vida, formando uma só força.


Obrigada a todos pela oportunidade de guiá-los e tê-los como companhia em mais essa aventura.
Saudades e até a próxima!

beijos,
Janine

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Check out de mergulho: Feeding Fishes


Glub Glub!

Apesar de ter a impressão de que meu computador está balançando em terra firme, estou feliz por ter concretizado meu curso de mergulho básico!

Após a primeira etapa do campeonato brasileiro, dei um tempo nas trips de ESCALADA para descansar articulações e me dedicar ao mergulho!

Conversando com uma educadora que convivo profissionalmente nos últimos meses, concluí que essa experiência de ser 'beginner' em uma modalidade de aventura ajuda muito a lembrar e a entender melhor o que sentem iniciantes na escalada, e assim, guiá-los com mais compreensão e sabedoria. Eu sempre olhei para novos adeptos na escalada com muita fé, conferindo a todos, igualmente, um potencial enorme.

Para incentivá-los, procuro até hoje ser sincera no fato de que o medo faz parte do processo, e que todo equipamento parece ser complexo nas primeiras vezes.
Porém, com alguns dias de prática, o escalador já se familiariza.

Em meio ao desafio de dominar os mecanismos do equipamento, o escalador vai apaixonando-se pelo universo que só pode ser vivido intensamente com o uso de corda, mosquetão, sapatilha, costuras, cadeirinha e por aí vai...

Dentro desse universo da escalada estão cumes, ambientes inóspitos, contato maior com seu "eu real", introspecção, contato enorme com Vida, diversidades, integração social e novos lugares para conhecer.

Acredito que qualquer um, com dedicação e vontade pode ir mais alto... No caso do mergulho, mais profundo...

Digo isso, pois há 8 anos atrás, realizei um curso de mergulho, mas não consegui compensar (aliviar a pressão da água nos tímpanos) no dia da descida mais profunda que precederia o check-out no mar.

Foi frustrante na época, mas por algumas razões não me senti motivada a tentar novamente.

Porém, o "sonho" de olhar a vida submersa de pertinho manteve-se aceso no meu coração.

E não é que eu venci o trauma da primeira tentativa falida, tentei mais uma vez, com uma certeza que desta vez iria dar certo...
E deu!

E nesse processo, para mim, o apoio dos instrutores em cada detalhe, em cada momento, foi fundamental!

Após auxiliar na logística de uma viagem que levou alunos do ensino médio para mergulhar, fomos todos para Ilha Bela colocar em prática as habilidades praticadas na piscina.



Há 1 mês, eu já havia realizado um mergulho de 8 metros com cilindro, auxiliada por um dive-máster, e a compensação tinha sido tranquila.

Mais confiante com este fator determinante para mergulhar, acordamos para o primeiro dia do check-out na Ponta das Canas, parte norte da Ilha.

Ainda no café da manhã, meu companheiro de trabalho lançou a pergunta que determinou a 'sensação' do dia:
- "Você quer dramin?"
"Imagina, suuussa! Enjôo só na gravidez!", respondeu a beginner Janine...

Apesar do dia ensolarado, o mar estava mexido. Com muito balanço, rumamos para o ponto programado a fim de realizar dois mergulhos de cerca de 8 metros e colocar em prática as habilidades do curso.



Após montar e checar o equipamento, chegou a hora de mergulhar.
Uma sensação de enjôo intensa já me pertubava, mas eu, otimista como sempre, tinha certeza que ela passaria ao entrar na água...

Em meio a essa vivência desconhecida, não sabia se a sensação de confusão e enjôo era normal e iria passar... O problema é que a 8 metros de profundidade, percebi que ela me acompanhava.
"Jesuis! Mas que companheira mais desagradável..."

Seguindo concentrada e administrando regulador, respirações e enjôo, realizei as habilidades corretamente, aprovada pela insrutora Bianca, dive-máster super querida e competente da Narwhal.

Posteriormente, treinando atendimento de caimbras na superfície, finalmente me destaquei com louvor em "feeding fishes", prática que, podem apostar, vivenciei intensamente nesse dia!
(Ninguém fotografou esta ação... Fico devendo guys!)

Afff... Alimentar peixes é proibido pelo Ibama, eu sei...
Mas, que alívio foi me livrar daquele enjôo, colocando tudo para fora!
Até neste caso, concordo com Breuer e Freud que concluíram sabiamente:
Desabafar é o melhor remédio! heehehe

No final da tarde, após o mergulho, nosso grupo atracou na Pedra do Sino para um almoço seguido do típico rolê pelas pedras para encontrar a tal pedra que imita o barulho de um sino!

No dia seguinte, 'Dramin B6' foi um elemento precioso do meu café da manhã rumo à Ilha das Cabras.

Além de realizarmos o check-out das habilidades restantes com um mar ainda mais mexido na superfície (Oxe, sem enjôo algum ;-)!), conheci este santuário ecológico, com visibilidade ótima, arraias, estrelas do mar, ouriços roxinhos, brancos, pretos, peixes coloridos, muta vida!

Incrível como o mar tornou-se um liquidificador na superfície e uma paz mais profundamente!

"Posso pegar uma conchinha para minha filha?", perguntei ao meu instrutor.
Essa pergunta levou-o às trevas... hehehe...

"Imagina se cada um que viesse mergulhar, tivesse levado uma conchinha, você não teria mais nada para apreciar hoje!", falou ele sério.

"Então teremos que trazê-la aqui, mostrar a concha e colocar de volta depois", desculpei-me.

De volta ao barco, mais uma vez pensei: 'Viva o Dramin' e 'Viva a vida', feliz por ter acreditado em mim, não ter desistido e ter ampliado meus horizontes!



Parabéns a todos os meus companheiros de check-out pelo certificado!
Obrigada aos nossos queridos instrutores Marcelo, Neil e Bianca, e à Treehouse que, após muita pesquisa e logística, propiciou o pacote de mergulho à todos!



Outra diversão garantida que vale à pena na Ilha Bela é a Cachoeira da Toca.
Cobra-se R$ 10,00 pela entrada.
Achei justo, uma vez que pratica-se o esquibunda, com o uso de cordas para voltar ao tobogã natural, e disponibiliza-se repelente aos visitantes (essencial se vc não quiser 'ser carregado' pelos borrachudos).



A tchurma local e a molecada me impressionou com umas descidas acrobáticas de pé no tobogã, quicando cachoeira à baixo... "Isso sim é ser radical", pensei.
"Ainda bem que ainda não tive um filho homem, pois se o meu fosse fazer esse tipo de coisa, eu infartaria de preocupação!"...

E aí, então, voltamos às velhas questões de consciência corporal e familiarização com uma prática, controle de riscos e contato com o desconhecido, que toda atividade de aventura propicia.

Conhecida, mas nem por isso, menos arriscada e movimentada, é a volta à rotina paulista que segue com muito balanço com escalada, textos, revisões e desafios do dia a dia!

Para viver um pouco esse espírito de aventura na cidade, aí vai o trailer do Filme UP - Altas Aventuras...
Assisti no cinema e já virou parte da minha videoteca!
"Um velhinho de setenta anos passou a vida sonhando em explorar o planeta e viver a vida intensamente..." E ele foi atrás desse sonho.


Parabéns a todos os participantes que 'flutuaram' nos boulders do ranking paulista de escalada esse final de semana!
Confira os vencedores em: http://www.altamontanha.com

Uma ótima semana com muitas realizações e paz a todos,

Beijo,
Janine

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Água, Terra e AR no RJ

+
- RANKING ESCOLAR e PAULISTA de Boulder:
http://www.apee.com.br

- PROJETO AR:
http://www.ar.com.br
______________________________________________________
Ois!!!

Espero que o feriado de todos tenha sido Maravilhoso!

O meu foi de muita paz ao lado de minha filhota e pessoas queridas, navegando pelas águas de Parati e acompanhando mais um reconhecimento de trabalho com a Treehouse http://www.treehouse.com.br.

Agradeço de coração ao Léo e à Nadine pela companhia sensacional e hospitalidade!


Pode-se dizer que a volta da viagem foi pelo "caminho da aventura", realizando a subida da serra pela estrada de Cunha...
A autora de tal denominação foi minha pequena que logo viu que o carro iria balançar um bocado, encantando-se com a proximidade e interatividade com os outros carros em meio aos perrengues!!!

Esta é uma opção bacana para quem volta da região, busca aventura e natureza, não volta de helicóptero e quer fugir do pânico do trânsito acumulado na Tamoios ou Oswaldo Cruz na volta do Feriado.
(É indicado realizar de dia, com um veículo 4X4 ou carros mais altos!)

A estrada começa em Parati, seguindo as placas para a cidade de Cunha, passando por fazendinhas, muita mata atlântica, cachoeiras e trechos bem difíceis de vencer com carros mais baixos sem tração...

Em alguns momentos, senti a falta de um guincho para ajudar outros carros que não conseguiam superar os trechos lamacentos e tiveram que voltar.

Após a subida de terra (uns 20 km), a estrada volta a ser asfaltada no topo da serra, na placa que divide o estado do Rio de Janeiro com São Paulo. A partir daí, é só alegria (mais uns 60 km) com o visual da Serra da Mantiqueira ao longe e muitas montanhas verdinhas até chegar na via Dutra, na altura de Guaratinguetá.

Aproveitando essa volta por terras cariocas, gostaria de divulgar um trabalho muito legal da OI Futuro com foco em educação, que está sendo realizado com crianças no Rio de Janeiro, através do PROJETO AR:
http://www.ar.com.br

O Projeto inovador conta com a parceria do Governo do Estado do Rio de Janeiro. Trata-se de uma olimpíada entre alunos do ensino médio das escolas públicas, envolvendo esportes de aventura e/ou olímpicos - skate, escalada, basquete 33, corrida rústica e vôlei de praia.
O projeto mistura o mundo real com o virtual, pois há games online, reinventando a educação pública no Estado.

Esperemos que os alunos realmente passem mais tempo interagindo e praticando esportes do que em frente ao computador!!!


O AR! traz novas propostas para unir toda a comunidade escolar (alunos, professores de Educação Física e também de outras matérias), além de promover a aproximação entre ensino, esporte e tecnologia.

O projeto está em vigor desde agosto de 2009 e muitas etapas das competições já estão acontecendo. A comunidade do Projeto no Orkut também está em grande atividade, reunindo os alunos das diversas escolas participantes, que estão cada vez mais empolgados.


Em São Paulo, a futura geração da escalada também segue forte e empolgada com o Ranking escolar e Paulista de Boulder que acontece no próximo final de semana (dia 7 de novembro) no Ginásio de Escalada 90 GRAUS.

Os route-setters da competição serão o proprietário do ginásio 90 Graus, Paulo Gil, responsável pelas categorias Amador e Juvenil, e o professor de Educação Física e mentor da maioria dos alunos participantes, Denis Prado Ricardo, responsável pela categoria Infantil.

Segundo Ricardo Leizer, presidente da APEE, esta etapa pretende garantir a diversão de todos os escaladores participantes, com boulders de dificuldade variadas para que a maioria consiga se movimentar e resolver os 'problemas'!

O início da competição para as categorias Infantil (Petiz, Pré Mirim , Mirim) e Juvenil será às 9 hs.
A categoria amador compete a partir das 14.

Mais informações atráves do site da APEE (Associação Paulista de Escalada Esportiva): http://www.apee.com.br.

Ótimas Escaladas e desafios a todos!

Beijo,

Janine

... "Superfície azul do céu, asas em curva de dores, Fernão Capelo levanta e voa, porque voar é importante, mais que comer e viver.

Caro é pensar diferente, viver em infinitos, voar dias inteiros só aprendendo a voar. Gaivota que se preza tem de sentir as estrelas, analisar paraísos, conquistar múltiplos espaços.

Gaivota que se preza precisa buscar perfeição. Importante é olhar de frente, em uma, em dez, cem mil vidas.

... nada é limite: voa, treina, aprende, paira sobre o comum do viver.

Se o destino é o infinito, o caminho é nas alturas!"

(Fernão Capelo Gaivota)

------------------------------------------------------

"Time stand still... I'm not looking back, but I want to look around me now, see more of the people and the places that surround me now...Time stand still...Freeze this moment a little bit longer, Make each sensation a little bit stronger, Experience slips away...The innocence slips away..."

(Rush and Climbing - since 1993)

Ocorreu um erro neste gadget