Bem-Vindos! Welcome!

Este é um espaço com impressões sobre montanhismo, escalada, performance esportiva, qualidade de vida, educação, viagens e outras paixões que, desde muito cedo, alimentam minha alma.

Aqui, apresento de forma descontraída, vivências e conquistas, curiosidades e bobagens. Obrigada pela visita!

Contato profissional para:
- Consultoria e Treinamento para Escalada Esportiva
- Modelo / Dublê de Escalada
- Jornalista Esportiva
email: janinefmcardoso@gmail.com


"Diga-me e eu esquecerei. Mostre-me e me lembrarei. Envolva-me e eu compreenderei." (Confúcio)

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Impressões - RedBull Psicobloc Brasil...


O Red Bull Psicobloc que rolou nesse último final de semana no Riacho do Talhado, sertão alagoano, foi pura emoção e adrenalina... em diversas esferas!

Além do show de escaladas realizado pelo nosso companheiro Lucas Marques (mais conhecido como Jah, mineiro radicado no RJ), superando as mais difíceis falésias do Cânion e vencendo o desafio do evento, todos os 6 participantes (Cesar Grosso (SP), Ralf Cortez (RJ), Felipe Camargo (SP), Cauí Cunha e eu), vivemos momentos de muita superação chegando cada vez mais alto e literalmente, aprendendo a voar... (e a pousar na água também!)

No primeiro dia de evento (19), fizemos um reconhecimento de alguns setores de Psicobloc e já pudemos sentir o coração pulsar muuuito forte com um espetáculo de escalada realizada pelo 'Jah', que superou à vista uma linha delicada graduada por ele como 8a brasileiro, chegando ao cume de uma falésia de cerca de 27 metros, em uma rocha de arenito virgem, com grandes possibilidades de agarras quebradiças.

Enquanto isso, todos nós - atletas, Felipe Dallorto e Flávia dos Anjos (escaladores curadores do evento), os irmãos bascos Eneko e Iker Pou, toda galera da RedBull e da equipe de filmagem, assistíamos no barco apreensivos e torcendo demais para sua chegada ao cume, principalmente quando ele ultrapassou uma altura segura para queda.

Inspirados por linhas mais sólidas e pelo gosto em enfrentar o desafio que une a escalada com o vôo rumo à água, fomos nos aventurando a cair de cada vez mais alto também, em linhas que até então não ultrapassavam o 7º grau BR.

Eu particularmente, no final de tarde deste 1º dia do evento, superei meus limites ao me lançar de um platô a uns 15 metros de altura, após finalizar uma escalada técnica, conseguindo uma queda limpa e tranquila... (algumas outras foram um pouco mais doídas... )

Para impulsionar o nível da modalidade no Brasil e proporcionar intercâmbio entre a cena, o eventro trouxe pela primeira vez ao país Eneko e Iker Pou (abaixo) - com bastante experiência em vias de psicobloc pelo mundo (ver postagem anterior), além de grandes feitos na escalada tradicional. Uma dupla muito gente fina e alto astral que ficou impressionada com a performance de Lucas nos Psicoblocs.


Os irmãos conheceram o local através dos cariocas Felipe Dallorto e Flavia dos Anjos, que descobriram os paredões de arenito em junho de 2010 e foram os responsáveis por indicar os convidados brasileiros para o encontro.

Valeu demais ao casal, que se empenharam e bancaram todas as primeiras investidas em busca desse paraíso, trabalhando muito para que pudéssemos desfrutar desses Psicoblocs alucinantes no RedBull Psicobloc Brasil... Admiração enorme por essa dupla!

Confira informações sobre como chegar neste paraíso e onde se hospedar, acessando o link abaixo, na matéria realizada pelos conquistadores: http://altamontanha.com/colunas.asp?NewsID=2415

No segundo dia de evento, boa parte dos atletas sentiam na musculatura dos ombros a tensão que os Psicoblocs do dia anterior impuseram...

Por causa da rocha quebradiça em alguns pontos, nos primeiros dias de Psicobloc no Talhado é comum o praticante escalar mais travado, bloqueando toda nossa força nos ombros para não apertar demais as agarras ainda desconhecidas... rsrs...

Logo cedo, o catamarã nos levou à parede que sugeria algumas linhas para o desafio final. Após analisarmos visualmente as possibilidades, foi votada entre todos os participantes uma via que parecia oferecer uma dificuldade técnica maior e uma queda segura para que pudéssemos nos arriscar mais nos lances.

Segundo Lucas Marques, 1º colocado e único a atingir o cume de cerca de 26 metros da falésia pela 2ª vez, a linha toda é um 8b BR.
Impressionante a consciência, concentração e o controle mental do Jah!
Para um escalador que já realizou a via "Lamurias" no Cípó, em solo, a possibilidade de cair de mais de 25 metros na água pareceu ser moleza! hehe

O pentacampeão brasileiro de escalada César Grosso, de São Paulo, foi o 2º colocado neste desafio, támbém arriscando movimentos delicados a cerca de 18 metros de altura, com muita consciência e coragem. (foto abaixo)

O experiente escalador carioca Ralf Cortes, acostumado a escaladas de Hard Grits na Inglaterra, completou o pódio, após desempate de 3º lugar definido pelo menor tempo de escalada nesta via, entre ele, Felipinho, Cauí e eu.

Segundo Ralf, Psicobloc no Talhado é muito mais tenso que Hard Grits e escaladas tradicionais por ser 'menos controlado'. Apaixonado por qualquer forma de escalada, no final do evento, o veterano também já manifestava desejo em voltar aos Psicoblocs deste paraíso para desbravar as possibilidades infinitas com mais tempo e relax!... kmon!

Com isso, fiquei super contente com minha 4ª colocação, como única atleta mulher convidada... Me superei por diversas vezes, conseguindo manter o controle e a confiança durante minha 2ª tentativa, visando atingir um ponto um pouco mais alto, sem medo da queda!
Já estou com saudades de voar!!!

Em seguida, satisfeitos com o tempo de escalada na via e curtindo demais o desafio, ficaram Felipinho em 5º e Cauí em 6º.
(Abaixo, Cauí Cunha na via do desafio)

A vibe do evento para todos os participantes manteve-se em alta, focada na prática dos Psicoblocs, sem pressão de competição e resultados, com destaque também para a escalada sensacional do Seu Zé (abaixo, entre os participantes), morador do Paraíso do Talhado, praticante de Psicoblocs com 72 anos de idade! Motivante demais!

No final do evento, tocou fundo também a emoção do Lourival, dono do bar SHOW DA NATUREZA de onde saem os catamarãs e pequenos barcos rumo aos 'Psicos'... Barqueiro super competente que nos guia pelas águas do Rio São Francisco, teve a oportunidade de trabalhar muito para nos receber e o fez com primor...

Valeu demais galera...
Felipe Dallorto, Flávia dos Anjos, galera do Riacho do Talhado que trabalhou para nos receber, galera da REDBULL gente finíssima, Wiland e equipe, THE NORTH FACE Brasil, Fernanda Franco, Anwar Balbino e toda energia positiva da comunidade e escaladores presentes!
...
"... A Vida é sincera!"

Crédito das Fotos:
Marcelo Maragni/Red Bull Content Pool

Mais informações:
http://www.redbull.com.br

Aproveito para indicar o filme REACH, com a participação do escalador brasileiro Felipe Camargo ao lado de Dave Graham, Daniel Woods e Zach Lerner, escalando boulders no Brasil, New Mexico e Estados Unidos (Colorado e Arizona)...

Pude conferir na íntegra no laptop do Felipinho durante a viagem de volta do Nordeste:
Sensibilidade, força, arte e paixão na captação das imagens e edição do filme...
Show!!!

Reach- Trailer 2 from Rogue State Films on Vimeo.


Download disponível em: http://www.iclimb.com/products/Reach-Download.html

beijos e belas conquistas a todos nós!!

Janine Cardoso

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

RedBull Psicobloc no 'Paraíso do Talhado'

Após a matéria de reconhecimento realizada para o programa Esporte Espetacular há duas semanas no Nordeste, é hora de voltar para o Paraíso do Talhado e conferir duas referências mundiais de Psicobloc nas águas do Cânion do Rio São Francisco.

Os irmãos espanhóis Iker e Eneko Pou se juntam a alguns atletas brasileiros no Riacho do Talhado, em Alagoas e Sergipe, para a primeira edição do Red Bull Psicobloc no país.

Nos dias 19 e 20 de fevereiro, as falésias de arenito que margeiam o Rio São Francisco na região chamada Paraíso do Talhado, serão palco da primeira edição brasileira deste evento pioneiro em escalada solo sobre águas profundas. A programação inclui uma competição em formato inédito, a exploração de novas vias e a confraternização entre atletas da escalada esportiva brasileira com os dois gringos.

“O maior desafio no primeiro contato com o psicobloc é reconhecer que seu condicionamento ou força não são suficientes se você não for capaz de usar a cabeça a seu favor”, define Eneko Pou, reconhecendo que o fator psicológico é o principal diferencial da escalada sem corda ou proteções.
Com isso, uma de minhas buscas é melhorar o 'psico' para desfrutar ainda mais dessa modalidade incrível!

Segundo um dos conquistadores dos Psicoblocs no local “O Talhado abriga alguns dos psicoblocs mais exigentes que fizemos até hoje. Lá, além de realizar movimentos complexos da escalada, o atleta precisa de resistência para testar algumas agarras antes de continuar, pois o arenito é bem sensível e quebradiço”, analisa Felipe Dallorto, que também foi o responsável por indicar os seis escaladores convidados.

Em 2008, por iniciativa de Iker e Eneko Pou, Mallorca recebeu a primeira edição do Red Bull Psicobloc. Os espanhóis convidaram alguns dos melhores escaladores europeus e, guiados por atletas locais, exploraram por sete dias algumas das principais vias nas costas rochosas do arquipélago a bordo de um veleiro.

Em setembro de 2010, na segunda edição do evento, os irmãos Pou estiveram na Represa de Prado, em Tolima (Colômbia, foto abaixo), onde ministraram clínicas para escaladores locais e realizaram o primeiro campeonato da modalidade.

O próximo final de semana marca a chegada do Red Bull Psicobloc ao Brasil, país visto como de grande potencial para escalada em falésias sobre a água, devido à abundância de rios e costões marítimos. No primeiro dia (19), os seis escaladores convidados poderão explorar os setores do Talhado acompanhados por Iker Pou, Eneko Pou, Felipe Dallorto e Flavia dos Anjos. No domingo (20), eles 'medirão forças' (ai ai ai) em uma competição em formato inédito. Os irmãos Pou serão os juízes do campeonato.

Participantes:
Felipe Camargo (SP), Janine Cardoso (SP), César Grosso (SP), Lucas Marques (RJ), Ralf Côrtes (RJ) e Cauí Cunha (PE).

Parceria: THE NORTH FACE BRASIL

Confira o vídeo com Highlights sobre o evento pelo mundo:
http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=E3vc9X6NZg8


C´mon!!!

Ótimas escaladas a todos!

Janine Cardoso

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Psicoblocs no Nordeste, Brasil



Olás!

Na última semana tive o grande prazer de conhecer um dos Cânions do Rio São Francisco - o Cânion do Xingó, e praticar Psicobloc no sertão nordestino!

Esse foi mais um lugar mágico que conheci nesse mundão graças à escalada e aos amigos admiráveis que ela me trouxe!

Uma dessas pessoas guerreiras que me proporcionou essa vivência é o escalador Felipe Dallorto, que, com sua companheira Flávia dos Anjos, após desbravar Arraial do Cabo, no Rio de Janeiro (matéria completa sobre Psicobloc em Arraial na edição 160 da revista Aventura&Ação: http://ecoviagem.uol.com.br/noticias/livros-revistas-e-jornais/revista-aventura-acao/revista-aventura-acao-ed-160-aventura-de-floripa-a-jordania--13020.asp) embrenharam-se pelo nosso nordeste, para descobrir mais um point para a prática do Psicobloc no Brasil!

Para começar, o Cânion do Xingó é lindo por si só.
E um dos seus 'braços mais envolventes' para nós escaladores de Psicobloc é justamente o "Riacho do Talhado", trecho onde estão as paredes que me aventurei, localizado entre os municípios de Olho D`Água do Casado (lado do Bar Show da Natureza) e Delmiro Gouveia (lado em que foi praticado o psicobloc), ambas cidades no Estado de Alagoas.
Conheça mais em: http://www.a-alagoas.com.br/delmirogouveia/index.htm

Toda esta região do riacho oferece paisagens e formações rochosas que guardam vestígios de seus primeiros habitantes há mais de 8 mil anos, com uma água esverdeada límpida, trilhas ecológicas, Parque Temático da Caatinga, vegetação exuberante e fauna diversificada.

Navegar por entre as rochas dessa gigantesca muralha de até 50 metros de altura, e mergulhar nessas águas que atingem até 190 metros de profundidade é um espetáculo!

Encravado no meio do Alto Sertão de Alagoas, a 213 km de Aracaju (capital do Estado de Sergipe) o Cânion do Xingó é uma das mais famosas formações rochosas da região, que segue embelezando a paisagem do árido sertão nordestino.

Ali, faz calor o ano todo, mas o vento forte que sopra de dezembro a janeiro torna a temperatura bastante agradável. Já entre os meses de maio e agosto, chove com muita frequência.

Aliado ao 'rolê' oferecido pelos catamarãs que percorrem o 'Riacho do Talhado', pode-se, além de escalar os diversos setores de escalada de Psicobloc já 'abertos' pelos pioneiros na região, Flávia e Felipe, pisar cenários das andanças do bando de foras-da-lei de Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião.

A trilha de Angico, no município de Poço Redondo, por exemplo, leva à gruta do mesmo nome, local onde morreram Lampião, Maria Bonita e mais nove companheiros.

Para completar, é sempre enriquecedor ver de perto a realidade do povo ribeirinho e dos 'assentados' que habitam a região, e sentir no olhar dessa gente a vontade em tocar para frente um turismo sustentável e consciente, atividade que com trabalho e divulgação tem tudo para ser um grande sucesso no Riacho do Talhado.

Filosofia sobre simplicidade, aceitação e muita pureza marcam alguns 'personagens' dessa região, seres humanos que receberam Flávia e Felipe de maneira acolhedora, e continuam receptivos em conduzir-nos por essas águas. Para isso, é importante marcar com antecedência, lembrando ainda que é possível curtir um almoço caseiro 'pé na água' com arroz, feijão de corda, salada e tilápia pescada ali mesmo, e servida no bar SHOW DA NATUREZA... rsrs

Segundo análise do povo local, mais de 80 escaladores já visitaram a região para conhecer as linhas que percorrem o arenito avermelhado e seu mundaréo de possibilidades para escalada...

A divulgação do local é recente, realizada após visita da dupla ao Cânion em julho de 2010.
Na época, sabendo que eu havia me apaixonado pela prática após visitar Mallorca, na Espanha, fui convidada pela dupla a partir para essa exploração também, mas em virtude de viagem para a Copa do Mundo na Europa, não pude ir na ocasião...

Mas, como tudo tem seu tempo, a hora chegou e pude me deliciar com o lugar e finalmente mergulhar em suas águas profundas!

Foi um breve reconhecimento local ao lado também da Luciana Ávila do Esporte Espetacular, para colher material para mais uma matéria sobre escalada, realizada de tempos em tempos pelo programa.



Nele, muitas imagens mostrarão uma Janine bem mais 'hipertensa' do que em qualquer outra escalada ou aventura, rsrs, em virtude dos mais de 15 metros de queda, muitas delas inesperadas devido à muitas agarras quebradiças nas vias ainda 'pouco' escaladas.
http://video.globo.com/Videos/Player/Esportes/0,,GIM1434709-7824-PSICOBLOC+UMA+ESCALADA+SEM+CORDAS+EM+UM+PAREDAO+DE+PEDRA,00.html

Apesar de poder desfrutar de movimentos tecnicamente mais fáceis nesses linhas se comparado aos que tenho enfrentado na escalada esportiva comum, muito deles parecem ter um grau de dificuldade mais elevado pelo aspecto psicológico ...
...O receio de uma agarra quebrar atormenta, por um instinto de sobrevivência nato, uma vez que, se o escalador cair de mal jeito na água, dependendo da altura, ele pode se machucar...

Mesmo com esse medo inerente, saiu para mim à vista a via 'Cabra Macho'... via bem aérea e linda demais!
E viva a resistência, pois graças a ela, pude 'desescalar' um dos cruxs dessa linha para diminuir a altura e curtir a queda!.... hehe


Porém, após uma 'queda bem caída', o gostinho de quero mais é inevitável e, aí, agente pensa: "Ô xente, até que dá pra cair de um pouquinho mais alto, vicê"...
Mais uma vez, é só uma questão de adaptação!... (Humm, e de cautela também, sempre!)

Falando em crash-pad aquático, a 'base' de queda das vias abertas no Riacho do Talhado é bastante segura devido às vias negativas, às aguas profundas e limpas, sem esquecer dos barqueiros 'espertos e ligeiros' que nos levam até a base de cada via e removem o barco rapidamente debaixo da via para evitar acidentes!

Eu diria que a prática por esse Cânion é até mais segura que em Mallorca, uma vez que o Rio não oferece ondas como o mar revolto.. Sem contar que a água não é salgada, o que é bem agradável!


Esse visita de apenas 2 dias rendeu uma vivência muito intensa, que merecerá mais que uma postagem!
Aos amantes da fotografia, a visita rende um material sensacional... Levem suas super câmeras e lentes!

Além do programa que deve ser exibido no próximo domingo, no Esporte Espetacular, vale uma matéria para enriquecer ainda mais o conteúdo da revista Aventura & Ação, reunindo impressões, 'águias' da escalada voando por essas paredes (...) e mais dicas práticas para curtir esse paraíso.

Confira relato das conquistas e dicas fornecidas pelos conquistadores em:
http://altamontanha.com/colunas.asp?NewsID=2415

Obrigada ao Felipe Dallorto pelo convite!
Shooow da Natureza!! ... rsrs
Never Stop Exploring!

Ótimas escaladas a todos,
bj,
Janine Cardoso

... "Superfície azul do céu, asas em curva de dores, Fernão Capelo levanta e voa, porque voar é importante, mais que comer e viver.

Caro é pensar diferente, viver em infinitos, voar dias inteiros só aprendendo a voar. Gaivota que se preza tem de sentir as estrelas, analisar paraísos, conquistar múltiplos espaços.

Gaivota que se preza precisa buscar perfeição. Importante é olhar de frente, em uma, em dez, cem mil vidas.

... nada é limite: voa, treina, aprende, paira sobre o comum do viver.

Se o destino é o infinito, o caminho é nas alturas!"

(Fernão Capelo Gaivota)

------------------------------------------------------

"Time stand still... I'm not looking back, but I want to look around me now, see more of the people and the places that surround me now...Time stand still...Freeze this moment a little bit longer, Make each sensation a little bit stronger, Experience slips away...The innocence slips away..."

(Rush and Climbing - since 1993)

Ocorreu um erro neste gadget