Bem-Vindos! Welcome!

Este é um espaço com impressões sobre montanhismo, escalada, performance esportiva, qualidade de vida, educação, viagens e outras paixões que, desde muito cedo, alimentam minha alma.

Aqui, apresento de forma descontraída, vivências e conquistas, curiosidades e bobagens. Obrigada pela visita!

Contato profissional para:
- Consultoria e Treinamento para Escalada Esportiva
- Modelo / Dublê de Escalada
- Jornalista Esportiva
email: janinefmcardoso@gmail.com


"Diga-me e eu esquecerei. Mostre-me e me lembrarei. Envolva-me e eu compreenderei." (Confúcio)

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Escaladas em Corupá, enfim!

- FLASHs Marcantes - Seixo-no-ia e Duro na Queda
- MATÉRIA de Capa: Mountain Voices, Super Heróis
- Destaque para NOVA GERAÇÃO - Felipe Foganholo
- Novo APOIO: LA SPORTIVA
----------------------------------------------------------------------------------
Olásss!

Após muito tempo ensaiando, prospectando e me programando,  enfim consegui concretizar uma trip para conhecer as incríveis e famosas escaladas de Corupá durante a semana de carnaval 2013.

São muitas coisas bacanas para contar sobre o lugar e sobre as pessoas que contribuem para a evolução do point.... Comecei a escrever aos poucos sobre essa vivência, lembrando de cada dia de viagem, curtindo fotos que os amigos foram enviando, selecionando com carinho os registros para compartilhar por aqui...

 Porém,  tudo isso, por mais legal que fosse, ficou um pouco perdido a semana passada com a chocante notícia do falecimento do escalador carioca Fábio Muniz - o Fabinho, após um acidente de bike em que foi atropelado no bairro de botafogo, no Rio.
Saiba mais em: http://espn.estadao.com.br/post/311378_montanhismo-se-despede-de-fabio-muniz

O Fabinho foi um companheiro de campeonatos durante muito tempo, sempre com um sorriso maroto nos isolamentos, conversa calma,  foco, leveza e técnica impressionantes durante as vias.... Desde sempre, expressou-se através de um estilo de escalada único e admirado por qualquer escalador que teve o prazer de vê-lo escalando.

 Por mais que não tenha encontrado com ele nos últimos anos, acompanhava e admirava muito seus feitos incríveis na rocha no auge de seus 44 anos. De longe, apreciava sua forma humilde e tranquila de manter e conduzir a escalada no mais alto nível na sua vida.

Cada vez mais tento balancear isso na minha vida também, Fabinho... Escalar com prazer, buscar humildade e ao mesmo tempo desfrutar das realizações conquistadas graças a muita dedicação...
Olhar nos olhos, sentir leveza e, ao mesmo tempo, força e foco em cada via, administrar os altos e baixos no esporte, manter a dignidade e seguir uma filosofia de vida com entrega e pureza.

E assim, cada um a sua maneira foi compartilhando vivências e aprendizados com aqueles que demonstraram interesse e aproximaram-se com admiração e sentimento de união.

Com profundo pesar, deixo meus sinceros sentimentos à  família desse ser-humano que deixou lembranças positivas a todos aqueles que cruzaram seu caminho algum dia na Terra.

E enfim, valorizando cada encontro vivido por aqui,  tive a oportunidade de  conhecer pessoas maravilhosas em Corupá esse mês, reencontrar outros amigos e me entregar a 7 dias plenos de escalada em rocha por lá.

A logística para essa trip começou com uma pesquisa sobre como chegar ao Parque Natural Braço Esquerdo, local onde estão localizadas as escaladas na cidade de Corupá.

Peguei boas dicas sobre todo o esquema de escalada no site do escalador Naoki Arima, desde o trajeto de carro até o parque,  infos sobre camping, comida, bebida, até o croqui das vias.

Tudo acertado, saímos de São Paulo na sexta-feira pré carnaval - Massa, Garrinha e eu. Apesar do trânsito surreal que enfrentamos antes de chegar à altura da cidade de  Curitiba, chegamos bem em Corupá  após cerca de 14 horinhas de viagem, com uma parada para almoço.

Chegamos na cidade por volta das 8 da noite, fizemos uma big compra de supermercado e tocamos para o Parque, onde fomos recepcionados pelos escaladores locais Márcio Gualberto, Daniel Casas e Vinicius 'Cotô'!

 Rapidamente, montamos nossas barracas em uma das áreas cobertas (o camping é permitido apenas para escaladores, com ficha de cadastro controlada pelo dono do restaurante local César, o que evita bem a farofada de turistas que visitam as cachoeiras durante o dia!).

Com o barulhinho da cachoeira ali do lado, já entramos em contato com os famosos mosquitos locais que, para nossa alegria, até que estavam calmos durante nossa visita por lá (levar  muito repelente ou improvisar incensos repelente feitos com caixas de ovos, nossa melhor alternativa!).

Instalados, seguimos para um rolê noturno de reconhecimento do setor principal, a 2 minutos de caminhada!

Empolgados, fomos dormir, ansiosos por finalmente escalar em Corupá no dia seguinte.

INFLUENZA 
No 1º dia de  climbing, comecei aquecendo na Dona Lila -7a, no setor Vale Perdido, seguindo com gana  para o  Paredão Principal, onde 'mergulhei' em  todos os movimentos da Influenza - 10a, via que eu tinha ouvido falar por causa da continuidade que ela exige (Valeu a seg Márcio Gualberto!!). Nela, já conheci o que é escalar com muuita umidade no ar!

Dependendo das chuvas e condensação, o ar fica bem úmido em alguns dias nos setores de escalada em Corupá, como foi o caso nesse nosso 1º dia de trip.

Essa escalada  foi ótima para me aclimatar ao clima e estilo das vias do Paredão Principal. Com ela, já tive uma ótima razão para mergulhar em um dos poços geladinhos na base dos setores e comer o famoso pastel de palmito do Cesar, acompanhado de uma cerveja gelada! rs

PEDRA LASCADA 
Louca para conhecer as outras vias, fui escalar em flash a Badalhoca-8b,  na companhia do escalador Poder. No final do dia, com a máster vibe dos amigos Bugio e Mari, realizei de 2ª entrada a Pedra Lascada -9a, ambas no setor Vale Perdido.
Com isso, já programei um day-off, pensando em entrar novamente no Paredão Principal com mais força e resistência no próximo dia de escalada.


   (Via Processo Anabólico - 7b- onsight)
             ( Foto por Carine Veiga)

DURO NA QUEDA - Flash
Após 1 dia de descanso e bem mais 'aclimatada', aqueci na via Processo Anabólico -7b (foto acima) e resolvi fazer a leitura completa da clássica Duro na Queda -9b, via que a Francine Gomes havia indicado (e encadenado) durante nossa visita ao Cipó em janeiro.

Com leitura atenta ao lado do Daniel Casas, realizei toda a visualização da via na base e  me mantive conectada a seus preciosos betas durante a escalada.

 O flash da 'Duro' foi uma cadena literalmente muuito suada, em um dia bem úmido também, com repelente escorrendo nos olhos (eu me lambuzei de 'exposis gel' no rosto, porque os mosquitos adoram me picar na testa e nas pálpebras!!! rs)

Com certeza, como disse a fotógrafa/escaladora/blogueira Carine Veiga, dei RAÇA!
Valeu demais pelas fotos, Carine! .. .Continue motivada, dividindo com autenticidade e estilo suas vivências no blog Diário de Uma Iniciante .

             (Foto: Carine Veiga)

Apesar da dificuldade em driblar o calorão do dia e continuar focada nos lances sem largar mão,  a Duro  foi uma via que me permitiu descansar em diversos pontos.
E dá-lhe MUITO magnésio 4CLIMB nessa escalada!

Seu estilo prioriza técnica com resistência, no qual costumo me encaixar bem.  Por isso, tive condições de escutar os betas do Daniel Casas que estava fotografando de cima e me manter motivada com a vibração positiva da galera presente!




(Fotos acima por: Daniel Casas  - www.asalamandra.com.br )

Esta foi, sem dúvida, mais uma conquista especial para mim nesse início de ano.

De 'cabeça feita', em poucos minutos já estava totalmente imersa em um dos poços de água geladinha do Vale Perdido, refrescando ante-braços e relaxando corpo, mente e espírito... PERFEIÇÃO...

Pronto! Sentimento de realização no ar e mais alguns dias de trip pela frente... E agora?

SEIXO-NO-IA - Flash
Após a Duro na Queda, o Massa reforçou o que o Daniel Casas e o Márcio Gualberto haviam me dito - "Você vai se identificar ainda mais com a Seixo-no-ia!"

Planejei, então, outro dia de descanso para conhecer com 'propriedade' mais este 9c clássico do Brasil.

Acompanhei, então, com mais atenção,  a escalada do Massa na via. Em seguida, ele me explanou a movimentação com mais detalhes até o descanso. Com betas preciosos do Gabriel Jansen (que havia encadenado a via no mês anterior), projetei na minha cabeça os movimentos da sequência de crux final, praticamente impossível de visualizar da base.

Entrei na via com agilidade e segui nas 'remadas', adaptando meu corpo aos pés e agarras de mão que melhor se apresentavam conforme minha altura, administrando as dificuldades até chegar, finalmente, ao famoso descanso antes do crux final.

  
    (fotos: Lucas Trotta "Garrinha" -http://lucasgarrinha.blogspot.com.br)

 Lá, percebendo a oportunidade de cadena em flash, demorei uns 15 minutos entre idas e vindas até o ínício dos regletes do crux,  até entender como seguir com o máximo de confiança possível.

Finalmente, após alguns testes e retornos sem desistir, 'me encontrei' no lance de saída da sequência do crux.

Toquei com rapidez pelas agarras - bidedo, regletinho, gaston e visualizei, logo ali à direita, a agarra final ...

Sem encontrar os pés conforme havia imaginado durante a projeção mental, armei um rebote para a última agarra, que, para minha felicidade, era realmente boa!
Com muita paciência para entender a sequência toda, saiu este 9c maravilhoso na 1ª entrada.

 A Seixo é de fato mais uma via totalmente no meu estilo de escalada... via de  resistência, agarras relativamente boas, pegas abertas, com um crux técnico em regletes no final.

Com certeza, considero a cadena em flash desse clássico 8a francês brazuca como uma das minhas maiores realizações como escaladora até hoje.

Quiçá, os 7c+/ 8a (FR) das eliminatórias e semi-finais mundiais fossem nesse estilo para rolar uma cadena também!! rs...
Mas acredito estar no caminho...
Por isso, até meus 40 anos de idade, pelo menos, continuarei na ativa nos campeonatos, sabendo que sou uma das grandes exceções dentro do cenário competitivo mundial, mas sabendo também que toda participação sempre é feita de coração, seja qual for a colocação.

A Seixo veio somar com força o que venho sentindo na rocha nos últimos tempos - mesmo sem a estrutura gringa, como por exemplo, na França, Áustria ou Eslovênia,  é possível atingir níveis ainda mais altos no Brasil, principalmente na escalada em rocha.

Até então,  venho priorizando escaladas à vista e em flash, que não exijam muitas entradas para encadenar, na onda de continuar competindo e conseguir conhecer novos desafios.
Mas tenho pensado muito em mudar isso e trabalhar com afinco algum projeto realmente mais desafiador que tenha 'minha cara'...

Enquanto ele não aparece e me envolve de vez, a ideia para esse ano é conhecer mais algumas clássicas em rocha pelo Brasil e manter meu foco em competições de dificuldade, participando de  pelo menos uma etapa do circuito mundial e das etapas nacionais de dificuldade.
Se for possível, vou encaixando outros eventos, mas a prioridade são as vias em rocha paralelamente à vida profissional e à maternidade.

Quero agradecer muito ao Daniel Casas e Márcio Gualberto pela receptividade em Corupá  e por todas as dicas ... Foi um enorme prazer conhecer o trabalho realizado no Parque Natural Braço Esquerdo... Podem apostar que, em breve, estaremos de volta!!!

Confira as primeiras notícias sobre as cadenas carnavalescas 2013 em Corupá em: http://ecosdamontanha.blogspot.com.br/2013/02/flash-corupax.html - . e acesse:
www.asalamandra.com.br

Valeu também pela parceria no último mês - Vinicius Cotô, Michelle Duarte, Gabrielzinho, Garrinha e  Massa, máster companheiro ...

1ª CADENA FEMININA -  SUPER-HERÓIS
Aproveito ainda para dividir com vocês  um texto que escrevi para o Mountain Voices - edição 130 (fev.março) sobre a 1ª cadena feminina da Super Heróis - 10a, extensão que realizei no início deste ano,  com foto de capa cedida pelo  escalador Eduardo Barão e  fotos internas clicadas pelo cumpádi Felipe Cabeça/4CLIMB!

                 (foto: Eduardo Barão)

Escrevi o texto com muito carinho e agradeço ao Eliseu pelo convite e espaço...
Quem quiser acompanhar esse informe brasileiro de montanhismo e escalada pela internet, é só descarregar o arquivo da edição em PDF no Site do Mountain Voices.

Edição 130 disponível online em: http://www.mountainvoices.com.br/mv130.pdf


                             (foto: 4CLIMB)

Compartilhando ainda as conquistas de destaque de alguns amigos da escalada, fica o  parabéns  ao  Garrinha pelas conquistas  incríveis em Corupá - vias  Super Paust e Humildade no Ar (10a), e Infinita Tristeza (9c) , e Massa, pela Duro na Queda, mesmo lesionado!
Postagem completa sobre esses feitos em:  http://lucasgarrinha.blogspot.com.br/

Meu maior 'kmon' este mês vai para o Felipinho FoganholO, por suas conquistas na rocha, no auge de seus 13 anos de idade!!!
No último final de semana, tive a emoção de filmar de 'camarote' sua cadena da via Vanilla Dura - 9b, realizada de 2º pega, na falésia dos Olhos!

Como verdadeira fanática há 20 anos, é um orgulho poder assistir de perto a nova geração brasileira e perceber um talento como esses dando a gana com pureza!!!
Saúde, motivação e pressão pra você,  lekin!! Parceria sempre nas rochas!!

Falando em parceria, fiquei muito feliz nesse início de ano em fechar apoio com a  La Sportiva ,  marca de sapatilhas de escalada e tênis de corrida italiana que está retornando ao Brasil!


Há muito tempo sou fã do modelo de sapatilha Miura (nas fotos de escalada desse post), investindo na compra desse e de outros modelos da marca, como a Katana, que se encaixam perfeitamente para mim!

Agora, após duas décadas correndo atrás para adquirir essas sapatas, vou aproveitar para experimentar outros modelos da marca também  e  'esmirilar' minha sapatilha na rocha sem tanta preocupação com esse custo inevitável!

Além da sapata, pirei nos modelos de tênis, coloridos e super tecnológicos!

Quem quiser conferir os modelos de sapatilhas e tênis, é só acessar a página no facebook - La Sportiva Brasil.
Alguns modelos já estarão à venda no Brasil a partir de abril nas lojas:
- Casa de Pedra, Half Dome, Bivak e Cia Aventura (São Paulo)
- Lechen, Makalu e Loja A5 (Rio de Janeiro)
- Das Pedras, Nerea e Pantanal Barreiro (Belo Horizonte)
- Campo Base e Canyon
- Commandos Brasil e Jurape (Joinville)

Para comemorar as parcerias e realizações desse bimestre, compartilho o som de Blundetto - músico e produtor francês que só fui conhecer em Corupá este mês.... Som TOP apresentado pelo Chef  'Cotô'... 
 COISA FINA!




E assim seja, parceiros... com muita raça, saúde, motivação, paz e plenitude a todos nós!
Vamos Nessa!?

4 comentários:

Careli disse...

Que bom, já estava com saudades dos seus textos.

Careli

http://aoutraesquerda.blogspot.com.br/

Careli disse...

Que bom, estava sentindo falta dos teus textos.

Careli
http://aoutraesquerda.blogspot.com.br/

Daniel J.Casas, Joinville/SC disse...

Incrívellll Jannnn...valeu d+++++
Volte logo....influenzaaaaaaaaaaaaaaaa!!!
Foi um prazer receber vc e seus amigos!!!!
Até breve!

fran disse...

Parabéns Jan, tinha certeza que você iria se encaixar nas vias de Corupá! Mas estou certa de que não é apenas "encaixe" e sim amor, dedicação, raça, escalada de corpo e alma! Você merece todas as conquistas! Grande beijo,Fran

... "Superfície azul do céu, asas em curva de dores, Fernão Capelo levanta e voa, porque voar é importante, mais que comer e viver.

Caro é pensar diferente, viver em infinitos, voar dias inteiros só aprendendo a voar. Gaivota que se preza tem de sentir as estrelas, analisar paraísos, conquistar múltiplos espaços.

Gaivota que se preza precisa buscar perfeição. Importante é olhar de frente, em uma, em dez, cem mil vidas.

... nada é limite: voa, treina, aprende, paira sobre o comum do viver.

Se o destino é o infinito, o caminho é nas alturas!"

(Fernão Capelo Gaivota)

------------------------------------------------------

"Time stand still... I'm not looking back, but I want to look around me now, see more of the people and the places that surround me now...Time stand still...Freeze this moment a little bit longer, Make each sensation a little bit stronger, Experience slips away...The innocence slips away..."

(Rush and Climbing - since 1993)

Ocorreu um erro neste gadget